Diocese, Notícias › 23/08/2021

Olav Schrader afirma que restauro recupera o patrimônio que é a Catedral São Pedro de Alcântara

O superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) do Rio de Janeiro, Olav Antônio Schrader visitou na manhã de hoje (23 de agosto) a obra de restauração da Catedral São Pedro de Alcântara. Durante a visita, ele se encontrou com o bispo de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, OSB e com a gerente do projeto de restauração, Katia Duque Rossi, quando manifestou seu contentamento em ver que a obra está sendo realizada e que em breve Petrópolis terá a Catedral totalmente restaurada.

Ele contou que, ao tomar conhecimento dos problemas da Catedral, entre eles o aparecimento de uma rachadura numa das paredes, ficou muito preocupado devido a importância histórica e cultural do prédio. “Como guardião do patrimônio histórico, passamos a dar uma atenção toda especial e colocamos todos os nossos esforços para ajudar na busca e solução dos problemas para que o projeto pudesse ser aprovado”.

Uma das prioridades foi fazer com que o projeto andasse para que a obra fosse iniciada o mais rápido possível. O superintendente do Iphan no Rio destacou ainda que não se trata de um projeto simples e não surge da noite para o dia, por isso, segundo ele, todos os esforços foram feitos para sua aprovação. Olav Schrader agradeceu ainda o empenho da sociedade petropolitana pela realização e apoio ao projeto e aos órgãos públicos que atuaram para que tudo fosse concretizado.

Durante o encontro com Dom Gregório Paixão, o superintendente do Iphan no Rio, Olav Schrader destacou a importância da Catedral de Petrópolis, lembrando que o desejo de a construir é bem anterior a construção dos palacetes petropolitanos, por ser um desejo do Imperador Dom Pedro II quando publicou o decreto de fundação de Petrópolis. “Esta Catedral, ainda que planejada muito antes, veio surgir após a queda do Império. Isso é muito interessante. Foi um longo processo de construção e assim como o projeto que hoje acontece de restauro e de segurança, que é uma iniciativa da sociedade civil, nos remete ao início da construção da Catedral. Naquele momento, o projeto foi capitaneado por três grandes mulheres, entre elas a Princesa Dona Isabel, para tornar realidade um sonho que era da Família Imperial, mas também era da sociedade petropolitana”.

Acompanhado de uma equipe técnica do Iphan, o superintendente Olav Schrader visitou o canteiro de obra e ficou impressionado com o andamento da obra, principalmente por ver alguns resultados do restauro, como a limpeza da lateral que fica voltado para as residências. Assim como toda recuperação estrutural realizada para impedir que a rachadura numa das paredes continuasse. Ele chegou a afirmar para os técnicos que, quando os andaimes forem retirados, será uma beleza olhar toda a Catedral restaurada. Ele e os técnicos subiram até a torre e conheceram o local onde será a galeria expositiva e a passarela instalada entre as cúpulas e o telhado.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.