Setor Piabetá celebra Missa pelos 70 anos das Equipes de Nossa Senhora no Brasil

O dia 16 de maio  foi marcado por uma celebração especial na Paróquia São Sebastião de Piabetá. A Santa Missa pelos 70 anos das Equipes de Nossa Senhora (ENS) no Brasil. O Casal Responsável pelo Setor Piabetá, Luciana e Adão, juntamente com o Casal Responsável pela Região Rio-VI, Mônica e André, participaram da Eucaristia na igreja matriz, representando os outros casais, que acompanharam a celebração pelas redes sociais.
Padre Tiago Nigro, FDCC, pároco da Paróquia São Sebastião e Conselheiro Espiritual do Setor e da Região, ressaltou que o movimento nasceu da harmonia entre a vocação matrimonial e a vida sacerdotal. “As ENS são um movimento que zela pela espiritualidade conjugal e, seguindo o exemplo do Padre Caffarel e dos primeiros casais lá na França, procura responder à ação do Espírito Santo”, diz o sacerdote.
O Setor Piabetá das ENS conta atualmente com 14 equipes e 2 Experiências Comunitárias, com casais das Paróquias São Sebastião e Nossa Senhora Aparecida, ambas de Piabetá, além da Paróquia Nossa Senhora da Guia, em Mauá. A história  do movimento na região remete ao início da década de 1980, por intermédio de casais equipistas de Petrópolis e com grande incentivo do Frei Antônio Moser.
“Ficamos muito felizes por celebrar um momento tão importante para o movimento. Estamos atravessando um período difícil, mas precisamos continuar unidos em oração e agradecer a Deus pelos 70 anos das equipes no país e pelos 30 anos em Piabetá”, afirma Luciana Reis. “A força do movimento em nossa região é fruto da entrega e da simplicidade dos casais que participaram ao longo de todos esses anos. Desejamos esse mesmo ardor para os casais novos”, complementa Adão.
O casal responsável pela Região Rio-VI também destaca a importância da unidade, mesmo em tempos de distanciamento social. “Os membros das ENS buscam no Sacramento do Matrimônio um ideal de vivência cristã e tentam juntos, como equipes, progredir nessa fidelidade ao Espírito Santo”, diz Mônica. “Hoje, com os meios digitais, podemos continuar nos comunicando e manter acesa a chama do amor de Deus em nossos matrimônios, esforçando-nos ainda mais para nos apoiarmos mutuamente diante das dificuldades”, conclui André.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *