Vida na Igreja e Missão são abordadas no segundo dia da Assembleia Diocesana

No segundo dia da VII Assembleia Diocesana, os temas Catecumeto, Animação Bíblica e a Igreja em Missão foram apresentados. Embora dividos em três palestras ministradas por irmã Redenção, Marta e padre Hernandes, respectivamente, os assuntos foram encadeados de forma a mostrar para todos como a iniciação à vida cristã, o contato com a Palavra de Deus e a missão devem ser trabalhados atualmente na Igreja.

Ir. Redenção falou sobre a urgência, na sociedade contemporânea, de levar as pessoas a terem um contato vivo e pessoal com Deus. E, para isso, ressaltou a importância de iniciá-las na vida da Igreja, mas também de reiniciar aqueles que receberam os sacramentos e estão sem o compromisso com a Igreja e com Cristo. Explicando o processo de iniciação à vida cristã, ela mostrou os passos que devem guiar este caminho, que vão desde vivência, passando pelo conhecimento e a celebração.

Este trabalho, destaca a irmã, é feito muito próximo da pessoa e, por isso, as comunidades devem repensar como fazer as catequese, pois as necessidades de cada um são bastante pessoais. Assim, a ir. Redenção salientou como se sai de uma “pastoral de banco” para uma Igreja missionária, ressaltando que “a dimensão bíblica é algo que não pode faltar nesta catequese de caráter catecumenal”.

E foi exatamente sobre esta dimensão bíblica que Marta tratou em sua palestra. Ela lembrou o I Congresso de Animação Bíblica da Pastoral, que aconteceu em Goiânia, entre os dias 8 e 11 de outubro, no qual falou-se sobre a importância de que toda animação na Igreja seja regida pela Sagrada Escritura. Então, torna-se preciso resgatar e atualizar a dimensão da pastoral para que seja viva, atendendo os anseios de cada um, e eficaz, satisfazendo e sendo fonte para nutrir as vocações, a formação, a espiritualidade e a missão.

Padre Hernandes abordou o tema da “Igreja em estado de missão” e indicou como antes as comunidades já faziam uma missão nas orações em família e agora estão partindo para uma ação em conjunto, a fim de anunciar o Cristo. Ele destacou três características que devem estar presente neste trabalho. “Deve ser urgente, devido a oscilação de critérios. Deve ser ampla e includente, reconhecendo que todas as situação, tempos e locais, são seus interlocutores”.

Por isso, o trabalho não deve ser prioridade apenas dos sacerdotes em suas paróquias, mas também de todos os fiéis. “Nossa ação deve ter o desejo de que todos sejam conscientes dessa missão”, declarou. Ainda tendo em vista a importância de que todas as pessoas tenham este encontro e experiência com Deus, Pe. Hernandes apontou a necessidade de que todos os locais sejam vistos pela missão, e assim, lançou um questionamento aos padres e delegados das paróquias presentes na Assembleia: “Vocês conhecem todo o território da sua paróquia? Digo aos padres, aos fiéis, comecem a olhar o território paroquial, pois às vezes existem lugares em que a Igreja ainda não foi. Precisamos olhar para esta realidade”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.