Novo cardeal da Igreja, Dom Paulo Cezar foi aluno do Seminário Diocesano de Petrópolis

A nomeação do Arcebispo Metropolita da Arquidiocese de Brasília, Dom Paulo Cezar Costa para ser um dos novos cardeais da Igreja, a partir do Consistório de agosto, foi celebrada com alegria pela Diocese de Petrópolis e, particularmente, pelo Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino. Dom Paulo, como informou o site Vatican News, cursou o Ensino Médio (Seminário Menor) e Filosofia no Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino.

O reitor do Seminário Diocesano, Padre Luiz Henrique Veridiano manifestou sua alegria por ver um aluno da instituição chegar o Colégio dos Cardeais. “Todos nós recebemos com grande alegria a escolha do Santo Padre. Em particular, para o nosso Seminário, é uma grande honra saber que um aluno do nosso Instituto foi escolhido para ser cardeal”, afirmou o reitor. Ele lembrou que outros três alunos foram nomeados bispos – Dom Odilon Guimarães Moreira, bispo emérito da Diocese de Itabira-Fabriciano, em Coronel Fabriciano, Minas Gerais, Dom Paulo Francisco Machado, atualmente bispo Diocesano de Uberlândia, Minas Gerais e Dom Gilson Andrade da Silva, bispo diocesano de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro.

Leia também: Dom Paulo Cezar: “quero ser um servidor do povo de Deus, desgastar a minha vida servindo”

De acordo com dados do Seminário Diocesano, Dom Paulo Cezar Costa foi aluno do instituto no período de 1983 a 1988. Ele cursou o Ensino Médio no Seminário Menor e Filosofia no Seminário Maior. Teve como reitores Monsenhor Jorge Facchin e Padre Antônio de Pádua Cavalcante. O reitor do Seminário, Padre Luiz Henrique lembrou que muitos dos sacerdotes da Diocese de Petrópolis foram colegas de seminário de Dom Paulo, inclusive Dom Gilson Andrade. “Que a Virgem do Amor Divino interceda pelo ministério de Dom Paulo para que seja profícuo e frutuoso”, desejou o reitor do Seminário Diocesano.

O bispo de Nova Iguaçu, Dom Gilson Andrade lembrou que foi colega de Dom Paulo Cezar no curso de filosofia do Seminário Diocesano de Petrópolis, na segunda metade dos anos 80. “Para o Seminário é motivo de alegria e de honra, contar entre os seus antigos alunos um Cardeal. Por outro lado, este fato serve de confirmação de um caminho de formação que o Seminário Diocesano de Petrópolis sempre procurou trilhar, pautado na fidelidade às diretrizes da Igreja para a formação presbiteral. O Seminário Nossa Senhora do Amor Divino foi o lugar onde o novo Cardeal, Dom Paulo Cézar, aprendeu a dar os primeiros passos rumo ao ministério sacerdotal e se vê que foi ajudado a dar passos firmes e ele procurou corresponder ao caminho proposto. Este dia ficará marcado na bela e meritória história do nosso querido Seminário” afirmou o bispo de Nova Iguaçu.

Para Dom Gregório Paixão, OSB, bispo da Diocese de Petrópolis, o Seminário Diocesano, cujo compromisso é formar sacerdotes, tem antes de tudo, formar bons cidadãos, bons cristãos e por fim, aqueles que perseveraram na caminhada, bons padres. Sobre a nomeação de Dom Paulo Cezar para Cardeal, o bispo diocesano disse que para Diocese de Petrópolis é motivo de ação de graças e profunda alegria a escolha do nome de Dom Paulo Cezar pelo Papa Francisco. “Trata-se de um grande pastor, conhecido pela excelente formação teológica, pela capacidade de conciliação e pelo profundo amor a Deus e a Igreja”, afirmou o bispo diocesano, lembrando que no período de formação de Dom Paulo Cezar, um deles foi vivido no Seminário Diocesano de Petrópolis, onde concluiu a Filosofia.

O Vigário Geral da Diocese de Petrópolis, Monsenhor José Maria Pereira lembrou o período de Dom Paulo Cezar no Seminário, ressaltando o papel importante do Seminário na formação dos padres. Para o Vigário Geral a nomeação de Dom Paulo para o Colégio dos Cardeais deve ser celebrada por toda Igreja e, de forma particular pela Igreja de Petrópolis, por saber que o novo cardeal passou pelo Seminário Diocesano.

O bispo de Uberlândia, Minas Gerais, Dom Paulo Machado, que foi reitor do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino disse que “Petrópolis com seu seminário faz parte desta história” e parabenizou o Seminário Nossa Senhora do Amor Divino e os seus formadores por esta contribuição.

Ao longo de sua trajetória, o Seminário Diocesano de Petrópolis tem contribuindo com a Igreja na formação de sacerdotes, sendo que dois deles foram nomeados bispos – Dom Paulo Machado e Dom Gilson Andrade – e dois passaram pela formação no Seminário, Dom Paulo Cezar, recém nomeado Cardeal, e Dom Odilon Guimarães Moreira, bispo emérito de Itabira Coronel Fabriciano.

Inaugurado em 25 de março de 1949 pelo primeiro bispo da Diocese, Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra, o Seminário Diocesano desde o seu início sempre contou com a presença dos jovens que responderam sim a Deus e buscaram o sacerdócio. Por este motivo e tantos outros, desde a sua fundação, o Seminário é considerado o “coração da Diocese” e todos os bispos sempre dedicaram parte de seu episcopado ao Seminário e à formação dos jovens.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print