Missa lembra um ano da morte do Padre Francisco Montemezzo

Padre Francisco a cavalo numa de suas peregrinações no Equador

No dia 6 de maio deste ano, primeira sexta-feira do mês, a Diocese de Petrópolis lembra um ano da morte do Padre Francisco Momtemezzo, ocorrida ano passado, aos 83 anos, devido a complicações causadas por causa de um acidente vascular cerebral (AVC). A celebração em sua memória acontece nas duas paróquias – São José do Itamarati e Santo Antônio no Alto da Serra – em ambas, às 19h, onde trabalhou por muitos anos.

Rogerio Tosta

Assessor de Comunicação da Diocese

Padre Francisco numa primeira comunhão no Itamarati

Nestas duas paróquias, Padre Francisco Montemezzo, missionário italiano, vinculado à Diocese de Pádua, onde foi ordenado sacerdote em julho de 1962, realizou diversos trabalhos pastorais, entre eles a formação de pequenas comunidades. Vindo de uma experiência missionária no Equador, Padre Francisco contou que o seu trabalho na Paróquia do Itamarati, a partir de abril de 1975 foi a continuidade do trabalho realizado entre os índios no Equador.

Na verdade, tanto no Equador quanto no Brasil, Padre Francisco Montemezzo se antecipou ao Documento de Aparecida, resultado da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, que aconteceu em maio de 2007, no Santuário Nacional de Aparecida. Ao reconhecer o papel importante das pequenas comunidades, já citada em documentos anteriores (Medellín e Puebla), o Episcopado Latino-Americano e do Caribe, afirma no parágrafo 310 do Documento de Aparecida que é preciso reanimar o processo de formação das pequenas comunidades:

– Destacamos que é preciso reanimar os processos de formação de pequenas comunidades no Continente, pois nelas temos uma fonte segura de vocações ao sacerdócio, à vida religiosa e à vida leiga com especial dedicação ao apostolado. Através das pequenas comunidades, também se poderia conseguir chegar aos afastados, aos indiferentes e aos que alimentam descontentamento ou ressentimentos em relação à Igreja”.

Processo este que o Padre Francisco entendeu desde a sua chegada ao Equador e ao Brasil, que somente pela formação de pequenos grupos de oração e celebração da Palavra de Deus poderia atingir todas as pessoas. Ao assumir a Paróquia São José do Itamarati, visitando a comunidade do bairro Esperança, antes conhecida como Provisória, entrando em contato com um senhor de origem espanhola, perguntou se poderia fazer uma reunião na casa dele e era para convidar outras pessoas. “Ao final da reunião, perguntei o que eles achariam de eu voltar a cada dois meses para celebrar a missa. Acharam a ideia boa e na semana seguinte já tinha outras pequenas comunidades”.

Para impulsionar as pequenas comunidades, Padre Francisco Montemezzo, no Itamarati e no Alto da Serra, incentivava momentos fortes de oração, como a coroação de Nossa Senhora nas comunidades e até por ruas e servidões, a formação de vários grupos de Novena de Natal e da Campanha da Fraternidade. Muitas vezes, ele comprava os livros da novena e da campanha, dividia em diversos grupos, cada um com no máximo 15 pessoas, com isso, numa mesma rua, às vezes conseguia formar dois a três grupos de oração durante estes períodos.

Ouça o próprio Padre Francisco falando sobre o início do trabalho no Brasil:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print