Diocese, Notícias › 19/01/2021

Documentário vai contar a vida do Padre Quinha

Padre Quinha: Um coração sem fronteiras. Este é o título do documentário que está sendo produzido sobre a vida do Padre José Carlos Medeiros Nunes, Pe. Quinha, com recursos do governo federal, por meio do projeto aprovado na Lei Aldir Blanc. O anúncio foi feito ao final da missa, celebrada no dia 18 de janeiro, na Igreja São José em Itaipava em memória ao Pe. Quinha, lembrando o seu oitavo aniversário de morte.

O Diácono Permanente, João Henrique, irmão de Padre Quinha, contou que a Oficina de Jesus apresentou o projeto na concorrência realizada pela Prefeitura Municipal de Petrópolis, para obter recursos da Lei Aldir Blanc, criada para ajudar os artistas e financiar projetos culturais. “Apresentamos o projeto e para nossa alegria, no dia 18 de novembro do ano passado foi aprovado”, contou.

Lucimar Danelon, responsável pela divulgação da Oficina de Jesus,  contou que a ideia de fazer um documentário sobre a vida do Padre Quinha era um sonho antigo e que tomou forma em julho do ano passado, durante as lives, comemorativa ao aniversário de nascimento do Padre Quinha e também do Julho Verde. A partir do momento que ideia se concretizou, Lucimar chegou ao produtor Vinicius Gabriel. Com a orientação do produtor, a Oficina de Jesus elaborou o projeto que foi aprovado pela Prefeitura com recursos da Lei Aldir Blanc.

O documentário, que conta com diversos voluntários, inclusive a diretora Diana Iliescu, tem por objetivo dar maior visibilidade a vida e obra do Padre Quinha e como afirmou seu irmão, Diácono João Henrique, fazer com que sua mensagem possa ultrapassar as fronteiras de Petrópolis.

Diácono João Henrique, irmão do Pe. Quinha

A missa, seguindo todas as orientações sanitárias, foi presidida pelo bispo diocesano, Dom Gregório Paixão, OSB e concelebrada pelo Pároco de Itaipava, Padre Mario Coutinho e pelo Vigário da Caridade, Padre Rafael Soares. A participação dos fiéis foi controlado e na porta havia pessoas com álcool em gel e aferição da temperatura.

Durante sua homilia, o bispo ressaltou a importância da mensagem deixada pelo Padre Quinha, que ao longo de sua vida dedicou aos mais necessitados, mas sempre mantendo um coração aberto a acolher todos. Dom Gregório Paixão disse que “estamos celebrando a memória de um irmão que teve uma existência que tocou os nossos corações e esta situação pelo testemunho de seu amor”.

A Igreja manteve a orientação do distanciamento social

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.