Diocese, Notícias › 10/12/2021

Diocese celebra a ordenação de quatro novos padres

Depois da ordenação sacerdotal, ocorrida no dia 4 de dezembro, na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Magé, com missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Gregório Paixão, OSB. Os novos sacerdotes da Diocese de Petrópolis – Padre Antonio Carlos, Padre Kayo Baptista, Padre Marcelo Alvarenga e Padre João Pedro Rabello – tiveram uma semana cheia, iniciando ao participarem como concelebrantes na missa de ação de graças pelos 50 anos de vida sacerdotal do Monsenhor Geraldo Policarpo, ocorrida, no domingo, 5 de dezembro, no Santuário Nossa Senhora do Amor Divino.

Vivendo a alegria da ordenação sacerdotal, sentindo-se amados pelo povo de Deus e pelos irmãos no sacerdócio, os quatro novos padres celebraram durante a semana a missa nas suas paróquias de origem. As celebrações foram marcadas pelas alegrias do encontro com amigos e familiares que acompanharam os primeiros passos de cada um deles a caminho do sacerdócio.

O primeiro a encontrar sua comunidade foi o Padre Antonio Carlos, no dia 6 de dezembro, na Paróquia Santo Antônio de Paquequer, em Teresópolis. Ao final da Santa Missa, ao agradecer aos seus familiares e amigos, ressaltou o apoio que teve de sua mãe, irmã e sobrinho.

– Se o grão de trigo cai na Terra e não morre fica só. Mas se morre, produz muito fruto. Deus me chamou para ser um grão de trigo. Que não pode apenas cair na terra, mas precisa morrer, ou seja, sou chamado a fazer da minha vida uma total e generosa oferta ao senhor afim de ser para o seu povo, trigo triturado, que se transforma em alimento, tal como Cristo feito pão, transforma-se em alimento para nossa salvação. Por isso agradeço imensamente ao Pai que me escolheu para ser sacerdote em seu filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em comunhão com o Espírito Santo a fim de me revelar que o sentido mais profundo da minha existência está em viver nele, por ele e para ele, pela salvação da minha alma e da alma do povo e ser assim verdadeiramente feliz e realizado”, afirmou o Padre Antônio.

No dia 7 de dezembro, a festa para o Padre Kayo Baptista aconteceu na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Pechincha em Jacarepaguá, onde o novo sacerdote encontrou familiares e amigos. Em suas palavras de agradecimento, Padre Kayo afirmou que o seu único sonho era ser padre e hoje, ordenado, se senti muito feliz e realizado.

– Fica conosco Senhor, esse foi o lema que escolhi para o meu ministério sacerdotal retirado do evangelho dos discípulos de Emaús. No dia da ordenação rezei com essa frase, pois a partir daquele momento poderia ajudar a Nosso Senhor a permanecer no mundo através da eucaristia. O mundo precisa da eucaristia, pois é ela, segundo o santo, o sol que dá à luz. Sem a eucaristia o mundo não tem sentido. Rogo a Deus para que o meu ministério sacerdotal seja um clamor ao Deus da vida, fica conosco Senhor. Participar do sacerdócio de Jesus é o maior tesouro da minha vida. Agradeço imensamente ao Senhor da messe por me eleger para tal participação. Não somos dignos de tal mistério, mas ele nos chamou, mesmo conhecendo nossas limitações e fraquezas porque como diz um grande filósofo, não são as nossas capacidades que mostram quem nós somos, mas são as nossas escolhas e escolho Cristo, o amor de Deus nos constrange. Ser padre sempre foi o meu sonho mesmo que eu só tenha percebido por volta dos 14 anos”, afirmou Padre Kayo.

Na festa da Imaculada Conceição, a festa foi grandiosa na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e Santo Aleixo. Celebrou a festa de sua padroeira com a primeira missa do Padre Marcelo Alvarenga. Afirmando que está vivendo uma oitava da ordenação, Padre Marcelo frisa que senti muito feliz e feliz, pois sua primeira missa em sua comunidade de origem aconteceu no dia da Solenidade da Imaculada Conceição.

– Posso dizer que hoje é o dia mais feliz da minha vida porque elevei, agora não mais o pão, não mais vinho, mas o Corpo e o Sangue do Senhor. Não é mais uma brincadeira, não é mais ensaio. A mão pesou, a mão tremeu, foi o Senhor em nossas mãos. Quis a providência divina que esta minha primeira celebração eucarística aconteceu na grande solenidade da Imaculada Conceição da virgem Maria, a mãe de Deus. Nesta grande solenidade a liturgia nos brinda com um conjunto de leituras que culmina com a cena central do momento da encarnação do verbo”, comentou Padre Marcelo.

Concluindo a semana de celebrações dos novos sacerdotes. A festa voltou a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Pechincha em Jacarepaguá, com a primeira missa do Padre João Pedro Rabello. A missa aconteceu no dia 9 de dezembro reunindo familiares e amigos. Durante suas palavras de agradecimento, lembrando sua caminhada vocacional, falou sobre o testemunho do Padre Francisco Montemezzo.

– Um grande conforto para nós padres, é que o próprio Jesus Cristo rezou por nós e nos chama ainda de seus amigos. O caminho da vocação passa necessariamente por uma resposta ao chamado de Deus. Foi o Senhor que nos escolheu. Ele que é o Sumo Sacerdote. Por isso, nessa missa rezei pelos sacerdotes, pela nossa santificação que estão respondendo ao chamado de Deus. Viver como Cristo é oferecer-se, afirmou Padre João Pedro.

Os quatro sacerdotes em breve exercerão seu ministério sacerdotal nas paróquias indicadas pelo bispo diocesano da Diocese de Petrópolis e como falaram, querem servir ao Senhor cuidando de suas ovelhas. Na ordenação, realizada no dia 4 de dezembro, na Matriz-auxiliar Nossa Senhora da Piedade em Magé, Dom Gregório Paixão, OSB, em sua homilia, falando diretamente aos novos sacerdotes afirmou “Queridos filhos pela fé, vocês estão recebendo a graça da ordenação presbiteral. Eu quero lembrar para vocês algumas coisas simples mais essenciais. Vocês não serão ordenados para serem administradores de uma paróquia, vocês estão sendo ordenados para serem pastores de um povo. Vocês não estão sendo ordenados apenas para uma circunscrição eclesiástica, isso também, mas vocês serão a partir de agora sacerdotes da igreja de Jesus Cristo espalhada por todo o mundo, portanto precisam ter um coração que seja verdadeiramente católico, no sentido de universal. Vocês estão sendo ordenados para proclamar diante de todos os homens a fé que vocês trazem no coração”.

O bispo diocesano ressaltou ainda que, todo conhecimento adquirido no período de estudos no Seminário, agora precisa ser aplicado “a favor da vida, em favor dos irmãos. Feliz é aquele que tem uma verdade para proclamar diante dos outros. Quando essa verdade é a única verdade, que é Jesus Cristo, nos indicará o caminho para que nós tenhamos uma vida definitiva. Como nós estamos nos preparando pelo coração neste tempo do advento recordando um fato passado de um nascimento, mas esperando uma glória que vem com justiça através da segunda vinda do senhor. Essa é a graça que nós encontramos quando entendemos o nosso sacerdócio. Quando isso acontece dentro de nós, somos movidos pela fé e não apenas pelo que temos que fazer. Quando somos movidos por um profundo amor a Deus ao ministério que ele nos deu e aos irmãos que ele colocou diante de nós, então, a nossa vida se torna outra porque a gente renasce a cada dia pela força do amor para fazer o que deve ser feito, para proclamar ao outro e ao mesmo tempo para ser felizes frente àqueles que abraçaram essa verdade que alegra, que salva que liberta e que dá vida”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.