Seguir Jesus – 13º Domingo do Tempo Comum – Mons. Paulo Daher

No 1º. Livro dos Reis, 18, 16.19-21, o Senhor disse a Elias: “vai e unge a Eliseu como profeta em teu lugar.”  Encontrando Eliseu lavrando a terra, lançou seu manto sobre ele. Eliseu diz-lhe:” deixa beijar meu pai e minha mãe.”  Elias: “vai e volta!”  Eliseu ofereceu então um sacrifício ao Senhor. Depois levantou-se e seguiu Elias.

Alguns profetas tiveram uma escolha comum da parte de Deus. Outros como mostra o trecho de hoje, Eliseu, um “cerimonial” é bem significativo.

Elias, o mais notável, passa a missão de profeta do povo a Eliseu, que estava lavrando a terra.

Observamos que Deus chama quem ele quer e o investe da força do alto para realizar o que o Senhor pede de assistir, orientar o povo em sua vida religiosa. Como sempre as pessoas tem medo quando Deus se manifesta pessoalmente. E nem sempre respeitam seus representantes que saem de seu próprio meio, mas recebem sobre seus ombros grandes responsabilidades.

Por isso também o profeta que ouve a Deus sofre da parte do povo que muitas vezes não o quer ouvir. Alguns profetas até quando a situação fica difícil, chegam a dizer: eu estava tranquilo em minha vida pessoal, o Senhor me chamou. E agora?(Am 7, 14-16)

Acontece também com nossa Igreja, principalmente em relação aos sacerdotes. A história da vida de cada padre é diferente. Sua origem, formação etc. Não há um igual ao outro. Cada tem seu maneira de agir.

Há tempos atrás li uma observação curiosa. O título era: Coitado do sr. Vigário. Se ele cuida das crianças, criticam por não dar atenção aos outros. Se orienta os jovens, os mais velhos se queixam. Se forma os adultos, outros chamam-no à atenção.

Há gente que nunca está satisfeito. Embora também quando vê alguma necessidade que não é atendida, não vai ao padre e trocar de ideias sobre. Criticar é fácil. Quando se chama para colaborar não tem tempo.

Nós todos somos a Igreja. Todos somos responsáveis pela missão da Igreja. Dentro do possível temos de colaborar.

Uma idéia simples e fácil para quem usa os meios sociais de comunicação é enviar para outras pessoas  o que recebemos de reflexão sobre Bíblia, sobre os santos, a Palavra do Papa e outros assuntos religiosos. Não guardar só para si.

Na carta aos Gálatas, 5, 1.13-18, o apóstolo diz: é para a liberdade que Cristo nos libertou. Para sermos escravos uns dos outros na caridade. O Mandamento é: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Procurem agir movidos pelo Espírito para vencerem os desejos da carne.

De que liberdade fala o apóstolo?

Liberdade ! Sou livre ! Estou livre! Em quê? Para quê?  Terrível destino: eu sou livre ! Diante da vida que me apresenta vários caminhos, diversas opções,  ricas atrações, indicações quase infinitas de escolha. Como fazer ?

Não posso ser indiferente diante das escolhas. Tenho de decidir qual é minha opção. Neste campo não posso ser indiferente. A vida caminha na proporção do que eu quero para mim. Quem irá me ajudar para acertar no que vai favorecer o meu futuro ?

Não somos cegos, nem estamos diante de uma escuridão completa quando caminhamos pela vida. Não só podemos contar com quem já viveu, participou anos na vida, porque temos dentro de nós uma luz divina que nos apresenta os vários caminhos como também para onde nos levarão.  Não estamos perdidos no tempo nem no espaço.

A inteligência, capacidade de discernimosento e compreensão, não se realiza sozinha. Seria como calcular o que seria necessário para construir uma casa. Tudo preparado, preciso decidir-me a agir, a escolher os meios para realizar o que me propus.

Cristo nos chama para usar nossa livre escolha dos verdadeiros bens para nós e para todos.

Aos poucos conforme vamos crescendo, tudo o que nos rodeia na vida tem influência em nossos pensamentos, julgamentos, sentimentos, escolhas. Mesmo buscando u´a melhor formação, a força dos hábitos se não contradizem ao menos dificultam usar melhor nossa liberdade.

Entre nossa fraqueza envolvida por muitas atrações e o desejo e a vontade de seguir o que Senhor nos pede e sabe que é de fato nosso bem, podemos sempre contar com a luz de Deus e seu amor que nos acompanha de perto.

Jesus nos propõe contar sempre com o Espírito Santo que nos ilumina, nos fortalece e dá-nos coragem para enfrentar as dificuldades que surgem.

Em Lucas, 8, 51-62, Jesus vai a Jerusalém, e passando por um cidade de samaritanos, estes não o receberam. Os apóstolos não gostaram. Queriam castigá-los. Mas Jesus foi adiante. Alguém vendo Jesus, disse:” eu te seguirei aonde quer que tu fores.” E Jesus: “as raposas tem tocas, os pássaros seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça.” A outro Jesus diz: “Segue-me.”  Ele respondeu: “deixa que eu primeiro vá enterrar meu pai.” E Jesus: “Deixe os mortos enterrarem seus mortos. Tu porém segue-me para anunciar o Reino de Deus.” Ainda outro: “eu quero seguir-te, mas deixe-me despedir-me de meus familiares.” E Jesus: “quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o reino de Deus.”

Todos nós desde antes do nosso nascimento fomos chamados por Deus para seguir um caminho nosso próprio. Durante o percurso de nossa vida vamos descobrindo o que Deus preparou realmente para nós. E é preciso reconhecer  o que Deus quer mesmo de nós.

Para todos o caminho a seguir está na orientação comum e geral de nossa religião. Mas Deus tem um plano de vida para cada um de nós. E é bom descobrir qual é, pois será o meio mais direto da realização de nossa vida e também do plano de Deus para a vida de muitas pessoas.

Repetir cada dia que queremos cumprir a vontade de Deus e pedir luzes para descobri-la, ajuda bastante. Alguns tem mais clareza, outros não e alguns ainda ficam a vida inteira à procura da razão de sua vida aqui na terra.

Por que somos chamados para muitas escolhas, quem não para, não pede orientação, pode não descobrir o que o Senhor quer de si.

O ponto de partida é: Deus me chama para alguma tarefa que realize minha vida e ajude outros a encontrar seu destino.

Sem maiores preocupações cada dia devemos pedir a Deus  cumprir sua vontade. Realizar a cada momento o que vejo que é bom fazer a mim e aos outros. Porque a vida se compõe de momentos e pequenas coisas. Certamente Nossa Senhora quando entregou sua vida nas mãos de Deus dizendo: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a sua Palavra, não pensava em coisas grandiosas. Seria o dia a dia de sua vida.

Assim repitamos: que cada dia faça-se em mim segundo a

Palavra  e a Vontade de Deus.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print