Liturgia diária › 18/08/2017

Ano A – 6ª-feira da 19ª Semana do TC – Evangelho – Mt 19,3-12

Liturgia da Horas
Ofício da 3ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Verde – Missa: Prefácio Tempo Comum.

Leituras do Dia

1ª Leitura do Livro de Josué 24,1-13

Naqueles dias:
1Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel
e convocou os anciãos, os chefes,
os juízes e os magistrados,
que se apresentaram diante de Deus.
2Então Josué falou a todo o povo:
‘Assim diz o Senhor, Deus de Israel:
Vossos pais, Taré, pai de Abraão e de Nacor
habitaram outrora do outro lado do rio Eufrates
e serviram a deuses estranhos.
3Mas eu tirei Abraão, vosso pai,
dos confins da Mesopotâmia,
e o conduzi através de toda a terra de Canaã,
e multipliquei a sua descendência.
4Dei-lhe Isaac,
e a este dei Jacó e Esaú.
E a Esaú, um deles, dei em propriedade o monte Seir;
Jacó, porém, e seus filhos desceram para o Egito.
5Em seguida, enviei Moisés e Aarão
e castiguei o Egito com prodígios que realizei em seu meio,
e depois disso vos tirei de lá.
6Fiz, portanto, que vossos pais saíssem do Egito,
e assim chegastes ao mar.
Os egípcios perseguiram vossos pais, 
com carros e cavaleiros,
até ao mar Vermelho.
7Vossos pais clamaram então ao Senhor,
e ele colocou trevas entre vós e os egípcios.
Depois trouxe sobre estes o mar, que os recobriu.
Vossos olhos viram todas as coisas que eu fiz no Egito
e habitastes no deserto muito tempo.
8Eu vos introduzi na terra dos amorreus
que habitavam do outro lado do rio Jordão.
E, quando guerrearam contra vós,
eu os entreguei em vossas mãos,
e assim ocupastes a sua terra
e os exterminastes.
9Levantou-se então Balac, filho de Sefor, rei de Moab,
e combateu contra Israel,
e mandou chamar Balaão, filho de Beor,
para que vos amaldiçoasse.
10Eu, porém, não o quis ouvir.
Ao contrário, abençoei-vos por sua boca,
e vos livrei de suas mãos.
11A seguir, atravessastes o Jordão e chegastes a Jericó.
Mas combateram contra vós os habitantes desta cidade
– os amorreus, os fereseus, os cananeus, os hititas,
os gergeseus, os heveus e os jebuseus.
Eu, porém, entreguei-os em vossas mãos.
12Enviei à vossa frente vespões
que os expulsaram da vossa presença
– os dois reis dos amorreus –
e isso não com a tua espada
nem com o teu arco.
13Eu vos dei uma terra que não lavrastes,
cidades que não edificastes, e nelas habitais,
vinhas e olivais que não plantastes, e comeis de seus frutos.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 135,1-3. 16-18. 21-22.24

R. Eterna é a sua misericórdia!
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1Demos graças ao Senhor, porque ele é bom: *
Porque eterno é seu amor!
2Demos graças ao Senhor, Deus dos deuses: *
Porque eterno é seu amor!
3Demos graças ao Senhor dos senhores: *
Porque eterno é seu amor!R.

16Ele guiou pelo deserto o seu povo: *
Porque eterno é seu amor!
17E feriu por causa dele grandes reis: *
Porque eterno é seu amor!
18Reis poderosos fez morrer por causa dele: *
Porque eterno é seu amor!R.

21Repartiu a terra deles como herança: *
Porque eterno é seu amor!
22Como herança a Israel, seu servidor: *
Porque eterno é seu amor!
24De nossos inimigos libertou-nos: *
Porque eterno é seu amor!R. 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 19,3-12

Naquele tempo:
3Alguns fariseus aproximaram-se de Jesus,
e perguntaram, para o tentar:
‘É permitido ao homem despedir sua esposa
por qualquer motivo?’
4Jesus respondeu:
‘Nunca lestes que o Criador,
desde o início os fez homem e mulher?
5E disse: ‘Por isso, o homem deixará pai e mãe,
e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne’?
6De modo que eles já não são dois, mas uma só carne.
Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe.’
7Os fariseus perguntaram:
‘Então, como é que Moisés mandou dar certidão de divórcio
e despedir a mulher?’
8Jesus respondeu:
‘Moisés permitiu despedir a mulher,
por causa da dureza do vosso coração.
Mas não foi assim desde o início.
9Por isso, eu vos digo:
quem despedir a sua mulher 
– a não ser em caso de união ilegítima –
e se casar com outra, comete adultério.’
10Os discípulos disseram a Jesus:
‘Se a situação do homem com a mulher é assim,
não vale a pena casar-se.’
11Jesus respondeu:
‘Nem todos são capazes de entender isso,
a não ser aqueles a quem é concedido.
12Com efeito, existem homens incapazes para o casamento,
porque nasceram assim;
outros, porque os homens assim os fizeram;
outros, ainda, se fizeram incapazes disso
por causa do Reino dos Céus.
Quem puder entender, entenda.’
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

Do livro de Josué 24, 1-13, Josué convocou os chefes e todo o povo e apresentou a palavra do Senhor lembrando tudo o que Deus fez por seu povo desde Abraão até Moisés que libertou o povo do Egito. Conduziu com prodígios pelo deserto até a terra Prometida, onde encontraram abundância de alimentos e venceram seus inimigos.

Aprendemos: é bom lembrar o que aconteceu em nossa vida. E pela fé agradecer ao Senhor por tudo o que Ele permitiu de bem para nós.

Muitas vezes encontramos na História Sagrada esta atitude em pessoas responsáveis por sua família ou por um trabalho: lembrar os acontecimentos vividos por seus parentes de idade e também pela história de sua própria vida.

Há pessoas que tem este costume: de vez em quando se reúnem para contar fatos da vida da própria família. Mostrando álbuns de retratos, objetos, móveis, árvores plantadas etc. Sempre ouvi dizer: recordar é viver.

E a alegria de ver modo de falar, gostos, objetos dos mais novos que lembram as pessoas de mais idade da família.

Guardo até hoje a lembrança: depois de padre fui visitar na terra de meus pais, o Líbano, o lugar onde viveram.  Como minha mãe nos contava muita coisa sobre Assia, cidade na montanha, eu ia bebendo tudo o que ouvia e acontecia como se eu mesmo tivesse vivido ali por muito tempo. E eles também em suas observações, em suas músicas, danças, pareciam ver presentes ali meus pais na minha pessoa.

Cada um tem a história de sua família e sua história pessoal. É  preciso trazer à mente estes acontecimentos. Perceberemos logo a presença de Deus em nossa vida em muitíssimos fatos. É preciso agradecer.

Nossa fé vai se fortalecendo na medida que confirmamos em muitas situações como Deus nos ama.

Parece-me que ás vezes pela presença diária, comum, necessária, em família, aos poucos perdemos a sensibilidade em relação a quem amamos e que nos ama tanto. Não é preciso toda a hora beijos e abraços e palavras carinhosas… Mas mantenhamos nossa sensibilidade bem viva para com as pessoas que amamos.

Porque acho eu, pode acontecer que eu por ver cada dia Deus agindo em minha vida, me acostume e manifeste um frio bom dia, um repetitivo: abençoa-me Senhor…

Em Mateus 19, 3-12, os fariseus perguntaram a Jesus sobre se podia despedir a esposa por qualquer motivo. Jesus lembrou que Deus no início os fez homem e mulher para que, casando-se, formassem uma família. E que ninguém poderia separar o que Deus uniu.  Lembraram que Moisés disse que se podia dar o divórcio. Jesus diz que foi por causa da dureza de seus corações. E reafirmou: “o que Deus uniu ninguém pode separar.”
            O amor é o dom mais divino que Deus colocou no coração do ser humano. É fonte de muitos bens e quando ferido causa muitos males.

Precisa de cuidados especiais. Sem cultivar esse dom, nossa vida perde seu sentido. E sozinhos não saberemos trata-lo como merece.

Por isso o Criador deu ao amor a necessidade de se doar a alguém e saber receber resposta também espontânea.

Para realizar o desenvolvimento deste dom, o Senhor facilitou o entendimento entre pessoas criando homem e mulher, para que na manifestação de seu amor sincero pudessem dar a Deus oportunidade de novas vidas.

Pode-se dizer que este dom é muito rico a ponto de transformar a vida de alguém além de suas possibilidades comuns. Manifesta-se na vida em família conduzindo todos num bem estar presente em momentos comuns como em ocasiões especiais. E realizando gestos heroicos como na vida de doação generosa de muitos santos pelo bem de pessoas pobres e humildes.

O dom do amor em sua delicadeza infinita merece muito cuidado para que realize gestos maravilhosos e evite os piores males que um ser humano pode sofrer.

É dom especial pelo qual podemos manifestar uma união íntima com o próprio Deus e realizar a felicidade de quem se envolva com essa força transformadora.