Dom Filippo Santoro

Dom Filippo Santoro

4º Bispo de Petrópolis

Lema: “Verbum Caro Factum” (E o v erbo se fez carne)

Nasceu em Bari (Carbonara), Itália, a 12 de julho de 1948

Ordenado Sacerdote em Bari a 20 de maio de 1972

Nomeado Bispo Titular da Tuscânia e Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro a 10 de abril de 1996

Ordenação Episcola a 29 de junho de 1996

Nomeado Bispo de Petrópolis a 12 de maio de 2004

Tomou posse em 11 de julho de 2004

Nomeado Arcebispo de Taranto, Italia a 21 de novembro de 2011

Tomou posse em Taranto a 5 de janeiro de 2012

Ordenação Sacerdotal 2010 044_1944x2592Graduou-se em Filosofia pela Universidade Católica Sagrado Coração de Milão, em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma e doutourou-se em Teologia Dogmática, pela PUC Roma e Filosofia em Milão.

Foi ordenado padre em 20 de maio de 1972 em sua cidade natal. Foi professor de Filosofia e Diretor do “Instituto Superior de Teologia para Leigos” da Arquidiocese de Bari entre 1974 e 1984, quando foi convidado por Dom Eugênio Sales para implementar o movimento Comunhão e Libertação na Arquidiocese do Rio de Janeiro. Nesta arquidiocese exerceu diversas funções pastorais e em diversas universidades. Foi membro da delegação da Santa Sé na ECO-92. Foi perito teológico na Quarta Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano em Santo Domingo de 12 a 28 de outubro de 1992. Foi também membro da Comissão Diocesana de Doutrina, do Conselho Presbiterial, e realizou Trabalho Pastoral na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana.

Em 10 de abril de 1996 foi nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, recebendo a ordem em 29 de junho do mesmo ano. Em 12 de maio de 2004 foi nomeado Bispo da Diocese de Petrópolis.

No dia 21 de novembro de 2011, foi nomeado pelo Papa Bento XVI, arcebispo de Taranto, na Itália, tomando posse no dia 6 de janeiro de 2012.

Como bispo, foi animador do Vicariato Sul, Responsável-Coordenador dos movimentos e associações de leigos, representante da Arquidiocese no Conselho Universitário da PUC-RJ, Membro da Comissão Episcopal de Doutrina da CNBB, Presidente do CONIC-Rio. Atuou ainda na Pastoral da Saúde, no Ensino Religioso nas escolas católicas e oficiais e na Pastoral de políticos católicos. Foi considerado um articulador político do então arcebispo Dom Eugênio Sales. Foi um dos negociadores para implementação da lei que torna o ensino religioso obrigatório nas escolas do governo no estado do Rio de Janeiro, em 2003.

No Regional Leste 1 da CNBB foi Bispo Referencial da Pastoral da Educação, da Pastoral do Ensino Religioso e da Pastoral do Laicato.

A partir de 1985 foi professor nas seguintes instituições:

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde ensina Teologia Dogmática na Pós-graduação e na Graduação.
Seminário Arquidiocesano São José do Rio de Janeiro, onde leciona Teologia e Filosofia.
Escola Teológica da Congregação Beneditina do Brasil no Rio de Janeiro, onde ministra a cadeira de Teologia Dogmática.
Presentemente exerce também os seguintes cargos:

Grão-Chanceler da Universidade Católica de Petrópolis;
Presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Rio de Janeiro (CONIC-RJ);
Membro da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB, de 2007 a maio de 2011.
Aos 25 de junho de 2011 teve seu nome divulgado como membro reeleito da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB .

Em 21 de novembro de 2011, foi elevado a arcebispo metropolita de Taranto[2] .

No dia 18 de setembro de 2012 foi nomeado pelo Papa Bento XVI como Padre Sinodal da 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos a se realizar no Vaticano de 7 a 28 de outubro de 2012 .

Obras publicadas

La Comunità condizione della Fede; ed. Jaca Book Milano, 1977;

500 Anos de Evangelização. Partir Novamente de um Fato e de uma Presença;

Jesus Cristo Ontem, Hoje e Sempre (Heb 13,8), ed. Ilimitada São Paulo, 1992;

Santo Domingo: La Novedad de um Método in “Communio”; Ed. Española (n. 1, enero-febrero 93) pp. 31–45. Ediciones Encuentro, Madrid, 1993;

A audácia da razão e o fascínio da fé, Fides et Ratio, in REB Março 1999;

Percorrer a distância entre a realidade e o mistério; Novos Paradígmas e Teologia em: Atualidade teológica (PUC-RJ), Nº 5 julho-dezembro-1999;

A dimensão trinitária da vida sacerdotal, Communio, Ed. Brasileira Nº 82, janeiro-julho 2000;

Percorrer a distância entre a realidade e o mistério,in Percorrer distâncias: um desafio para a razão humana, Ed. USP, Campus Ribeirão Preto, 2001;

A Igreja como Sacramento. Símbolo, memória e evento, em: revista Eclesiástica Brasileira (REB);

O Ensino Religioso: Identidade e Pluralismo em Revista: “Communio” Ed. Brasileira.