Liturgia diária › 25/11/2021

Ano B (Ímpar) – 5ª-feira da 34ª Semana do TC – Lc 21,20-28

Leitura da Profecia de Daniel 6,12-28

Naqueles dias:
12Aproximaram-se, pois, aqueles homens
e encontraram Daniel orando
e fazendo preces a seu Deus.
13Foram ter com o rei
e falaram a propósito do decreto:
‘Ó rei, acaso não assinaste um decreto
segundo o qual toda pessoa que, nos próximos trinta dias,
diria oração a qualquer divindade ou homem
que não sejas tu, ó rei,
seria atirada na cova dos leões?’
O rei respondeu:
‘O que dizeis, é verdade,
como manda a lei dos medos e persas,
e que não se pode violar.’
14Então eles disseram perante o rei:
‘Daniel, um dos cativos de Judá,
não fez caso de ti, ó rei,
nem do decreto que assinaste,
mas três vezes por dia
ele faz suas preces e orações.’
15Ao ouvir isto,
o rei ficou muito desapontado,
e tomou a resolução de salvar Daniel,
empenhando-se em libertá-lo antes do pôr-do-sol.
16Mas aqueles homens instaram com o rei e disseram:
‘Não te esqueças, ó rei,
de que é lei dos medos e persas
que não se pode mudar nenhum decreto
que o rei tenha promulgado.’
17Então o rei deu ordem para buscar Daniel
e lançá-lo na cova dos leões.
E disse a ele:
‘O teu Deus, a quem prestas culto com perseverança,
haverá de salvar-te.’
18Trouxeram uma pedra
e colocaram-na sobre a boca da cova,
que o rei marcou com seu anel e os dos grandes da corte,
para que nada se tentasse contra Daniel.
19O rei retirou-se para o palácio e foi dormir sem cear,
e não quis que lhe trouxessem comida;
além disso, não conseguiu conciliar o sono.
20Ao raiar do dia, levantou-se o rei
e foi apressadamente à cova dos leões;
21aproximando-se da cova,
chamou por Daniel com voz aflita,
e disse:
‘Daniel, servo do Deus vivo,
teu Deus, a quem prestas culto com perseverança,
pôde salvar-te do leões?’
22E Daniel respondeu ao rei:
‘Ó rei, vive para sempre!
23O meu Deus enviou seu anjo
e fechou a boca dos leões;
os leões não me fizeram mal,
porque, na presença dele,
foi provada a minha inocência;
tampouco pratiquei qualquer crime
contra ti, ó rei.’
24Com isso, alegrou-se grandemente o rei;
e mandou tirar Daniel da cova;
quando o retiraram, nenhuma lesão mostrava ele,
porque acreditara em seu Deus.
25O rei mandou vir os homens que acusaram Daniel,
e os fez lançar na cova dos leões,
juntamente com seus filhos e suas mulheres;
estes não tinham chegado ao fundo da cova,
e já os leões caíam sobre eles,
esmagando-lhes os ossos.
26Então o rei Dario
escreveu a todos os povos, nações e línguas
que habitavam a terra:
‘Que vossa paz se multiplique.
27Está decretado por mim que,
em todo o território do meu império,
todos respeitem e temam o Deus de Daniel:
ele é o Deus vivo
que permanece para sempre,
seu reino não será destruído
e seu poder durará eternamente;
28ele é o libertador e o salvador,
que opera sinais e maravilhas
no céu e na terra.
Foi ele quem salvou Daniel
das garras dos leões!’
Palavra do Senhor.

Salmo – Dn 3,68. 69. 70. 71. 72. 73. 74 (R. 59b)

R. Louvai-o e exaltai-o, pelos séculos sem fim!

68Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!R.

69Geada e frio, bendizei o Senhor!R.

70Gelos e neves, bendizei o Senhor!R.

71Noites e dias, bendizei o Senhor!R.

72Luzes e trevas, bendizei o Senhor!R.

73Raios e nuvens, bendizei o Senhor!R.

74Ilhas e terra, bendizei o Senhor!R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,20-28

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
20Quando virdes Jerusalém cercada de exércitos,
ficai sabendo que a sua destruição está próxima.
21Então, os que estiverem na Judéia,
devem fugir para as montanhas;
os que estiverem no meio da cidade, devem afastar-se;
os que estiverem no campo, não entrem na cidade.
22Pois esses dias são de vingança,
para que se cumpra tudo o que dizem as Escrituras.
23Infelizes das mulheres grávidas
e daquelas que estiverem amamentando naqueles dias,
pois haverá uma grande calamidade na terra
e ira contra este povo.
24Serão mortos pela espada
e levados presos para todas as nações.
e Jerusalém será pisada pelos infiéis,
até que o tempo dos pagãos se complete.
25Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas.
Na terra, as nações ficarão angustiadas,
com pavor do barulho do mar e das ondas.
26Os homens vão desmaiar de medo,
só em pensar no que vai acontecer ao mundo,
porque as forças do céu serão abaladas.
27Então eles verão o Filho do Homem,
vindo numa nuvem com grande poder e glória.
28Quando estas coisas começarem a acontecer,
levantai-vos e erguei a cabeça,
porque a vossa libertação está próxima.’
Palavra da Salvação.

Comentário: Monsenhor Paulo Daher

Em Daniel, 6, 12-28, Daniel recusando obedecer à proibição do rei de adorar outro deus que não fosse o rei, foi denunciado por desobedecer. O rei tentou salvar Daniel, Foi em vão. Tanto fizeram seus inimigos que o rei mandou que o jogassem na cova dos leões. Mas desejou que o Deus de Daniel pudesse salvá-lo. Uma pedra fechou a boca da cova. O rei não conseguiu dormir aquela noite. Pela manhã, no surgir o sol, o rei foi depressa à cova dos leões. Lá chegando gritou: “Daniel, servo do Deus vivo, o teu Deus te pode salvar dos leões?” Daniel respondeu. “Meu rei viva para sempre! Meu Deus enviou um anjo que fechou as fauces dos leões que nenhum mal me fizeram então. Pois sou inocente, nenhum mal fiz.” O rei cheio de alegria mandou retirarem Daniel da fossa e viu que ele estava sem nenhum ferimento, pois confiara em seu Deus. E mandou que jogassem na fossa os que acusaram Daniel, com suas mulheres e filhos que foram logo devorados pelos animais.
O rei então publicou um decreto a todos os seus súditos que se honrasse o Deus de Daniel, porque Ele é o Deus vivo e eterno. Pois ele que livrou Daniel, salva e liberta e faz prodígios no céu e na terra.
O trecho todo é uma grande lição para nós. É como um quadro da vida com muitos personagens. Cada um com suas características.
Sermos fieis a Deus e ao que deseja de nós, embora às vezes nos custe sacrifícios, dá-nos, mesmo no meio das tribulações, uma paz, alegria de que o Senhor é capaz. É só experimentar.
S. Francisco conversando uma vez com Frei Leão pela estrada, naqueles momentos de troca de experiências, dizia: Frei Leão, se chegássemos neste inverno à porta do Convento tão sujos e esfarrapados para pedir ao porteiro para abrir a porta e ele se recusasse, pensando sermos assaltantes ou ladrões e nos expulsasse para a neve e o frio, deveríamos louvar a Deus porque nos achou dignos de sofrer um pouco por nossos pecados e por muitos pecadores. E não perderíamos a paz que é estar com Deus, mesmo que as pessoas nos expulsem.
Daniel como s. Francisco com o lobo de Gúbio, não incomodou os leões, nem eles atacaram o servo de Deus. Nós também não devemos ter medo dos leões de nossa vida. Deus é o Senhor de tudo e de todos. Ele saberá o que fazer. Pode livrar-nos ou não. Mas nunca arredará pé de junto de seus filhos queridos!

Em Lucas 21, 20-28, Jesus disse: quando vocês virem Jerusalém cercada de acampamentos, saibam que a destruição dela está próxima. Quem estiver na cidade fuja para as montanhas,quem estiver no campo entre na cidade. Serão dias de desgraças. Haverá muitas mortes nesta terra. Muitos serão levados prisioneiros. Jerusalém será pisada pelos pagãos até que o tempo se complete.
Parece ser uma previsão do que de fato aconteceu no ano 70 com o cerco e a destruição da cidade de Jerusalém, com seu Templo e os habitantes da cidade.
A cidade pode ser nossa vida pessoal, familiar, com nossos bens, com a segurança de nossos fortes muros, mas tão frágeis. Nosso avanço tecnológico e em todas as ciências sobe à cabeça de muitas pessoas.
Chegam à conclusão: eu sou deus. Sou mais que Deus. Que Deus poderá vir contra mim?
Construímos a torre de Babel (Gn 11, 1s) e estamos morando nela, numa altura nunca dantes conseguida. Estamos invadindo os céus. Alcançamos o alto para dominar todo o horizonte da vida. Nossa casa-torre é imbatível…
A confusão começou porque não nos entendemos entre nós. Um diz: é por aqui. Outro: não. É por ali. Assim é melhor. Não, melhor é o que vejo. Tudo começa com cada um considerar-se deus, senhor, sábio mais que os outros.
Podemos dizer que o inimigo não vem de fora. Ele está dentro de nós mesmos. Como posso descobri-lo? Como posso vencê-lo?
Atendamos à voz do Senhor que nos chama. Ele é nossa solução. Acreditemos nele. Confiemos mais nele. Ele é a nossa Salvação.