Liturgia diária › 29/07/2021

Ano B (Ímpar) – Festa Santa Marta – Evangelho – Lc 10,38-42

Leitura da Primeira Carta de São João 4,7-16

7Caríssimos, amemo-nos uns aos outros,
porque o amor vem de Deus
e todo aquele que ama
nasceu de Deus e conhece Deus.
8Quem não ama,
não chegou a conhecer Deus,
pois Deus é amor.
9Foi assim que o amor de Deus
se manifestou entre nós:
Deus enviou o seu Filho único ao mundo,
para que tenhamos vida por meio dele.
10Nisto consiste o amor:
não fomos nós que amamos a Deus,
mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho
como vítima de reparação pelos nossos pecados.
11Caríssimos, se Deus nos amou assim,
nós também devemos amar-nos uns aos outros.
12Ninguém jamais viu a Deus.
Se nos amamos uns aos outros,
Deus permanece conosco
e seu amor é plenamente realizado entre nós.
13A prova de que permanecemos com ele,
e ele conosco,
é que ele nos deu o seu Espírito.
14 E nós vimos, e damos testemunho,
que o Pai enviou o seu Filho
como Salvador do mundo.
15Todo aquele que proclama
que Jesus é o Filho de Deus,
Deus permanece com ele,
e ele com Deus.
16E nós conhecemos o amor que Deus tem para conosco,
e acreditamos nele.
Deus é amor: quem permanece no amor,
permanece com Deus, e Deus permanece com ele.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 33(34),2-3.4-5.6-7.8-9.10-11 (R. 2a ou 9a)

R. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!
Ou:
Provai e vede quão suave é o Senhor!

2Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, *
seu louvor estará sempre em minha boca.
3Minha alma se gloria no Senhor; *
que ouçam os humildes e se alegrem! R.

4Comigo engrandecei ao Senhor Deus, *
exaltemos todos juntos o seu nome!
5Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu, *
e de todos os temores me livrou. R.

6Contemplai a sua face e alegrai-vos, *
e vosso rosto não se cubra de vergonha!
7Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, *
e o Senhor o libertou de toda angústia. R.

8O anjo do Senhor vem acampar *
ao redor dos que o temem, e os salva.
9Provai e vede quão suave é o Senhor! *
Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! R.

10Respeitai o Senhor Deus, seus santos todos, *
porque nada faltará aos que o temem.
11Os ricos empobrecem, passam fome, *
mas aos que buscam o Senhor não falta nada. R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 10,38-42.

Naquele tempo:
38Jesus entrou num povoado,
e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa.
39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor,
e escutava a sua palavra.
40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres.
Ela aproximou-se e disse:
‘Senhor, não te importas que minha irmó
me deixe sozinha, com todo o serviço?
Manda que ela me venha ajudar!’
41O Senhor, porém, lhe respondeu:
‘Marta, Marta! Tu te preocupas
e andas agitada por muitas coisas.
42Porém, uma só coisa é necessária.
Maria escolheu a melhor parte
e esta não lhe será tirada.’
Palavra da Salvação.

Comentário: Monsenhor Paulo Daher

Na 1ª carta de João, 4, 7-16, o apóstolo pede equilíbrio entre momentos de oração e de caridade para com os necessitados. Deus dá-nos graças, proteção e luzes para que possamos ajudar as pessoas.
Sermos religiosos não é só na hora das orações e cerimônias litúrgicas ou na igreja. A fé deve ser sentida e vivida a todo o momento. E mesmo a prova de que nossa fé é verdadeira é nossa maneira de viver em casa, fora e no contato com todas as pessoas. É com minha vida, meu tratamento dos outros que mostro que Deus está comigo e quer ir ao encontro dos outros por meio de mim.
Jesus nos três últimos anos de sua vida foi ao encontro das pessoas. Ensinava, curava, estava presente em momentos difíceis da vida das pessoas. O evangelho fala também que Ele se retirava para orar. Este momento é respiro espiritual que dava sentido a tudo o que fazia. Assim deve ser nossa vida. Fé sem ir ao encontro dos outros não é completa.
Em Lucas 10, 38-42, Jesus visita as irmãs Marta e Maria. Esta fica aos pés de Cristo ouvindo o que ele tem a lhe dizer. Marta se ocupa com toda a preparação para o almoço. E reclama com Jesus que Maria não a ajude. Cristo lhe diz: Maria escolheu a melhor parte.
Claro que Jesus estava contente com Marta por preparar um bom almoço. Mas aproveitou a ocasião para ensinar que o que Maria fazia ouvindo Jesus era importante! Nós às vezes valorizamos mais o agitar-se, correr para cá e para lá. No entanto todo o nosso agir depende de momentos em que paramos para pensar, programar, orar. Até nosso corpo, nossa saúde precisam de momentos de descanso para refazer as forças e não esgotá-la completamente. É este o sentido espiritual e de bem estar físico: as missas no domingo, as reuniões, encontros, retiros, momentos para a oração em casa, no trabalho, na comunidade. E por último também ao correr muito não tenho calma para fazer melhor o que tenho a executar.