Liturgia diária › 22/07/2021

Ano B (Ímpar) – Festa Santa Maria Madalena – Jo 20,1-2.11-18

Leitura do Livro do Cântico dos Cânticos 3,1-4a

Eis o que diz a noiva:
1Em meu leito, durante a noite,
busquei o amor de minha vida:
procurei-o, e não o encontrei.
2Vou levantar-me e percorrer a cidade,
procurando pelas ruas e praças,
o amor de minha vida:
procurei-o, e não o encontrei.
3Encontraram-me os guardas
que faziam a ronda pela cidade.
“Vistes por ventura o amor de minha vida?”
4aE logo que passei por eles,
encontrei o amor de minha vida.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 62(63),2.3-4.5-6.8-9 (R. 2b)

R. A minh’alma tem sede de vós, Senhor!

2Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! *
Desde a aurora ansioso vos busco!
A minh’alma tem sede de vós, +
minha carne também vos deseja, *
como terra sedenta e sem água!R.

3Venho, assim, contemplar-vos no templo, *
para ver vossa glória e poder.
4Vosso amor vale mais do que a vida: *
e por isso meus lábios vos louvam.R.

5Quero, pois vos louvar pela vida, *
e elevar para vós minhas mãos!
6A minh’alma será saciada, *
como em grande banquete de festa;
cantará a alegria em meus lábios, *
ao cantar para vós meu louvor!R.

8Para mim fostes sempre um socorro; *
de vossas asas à sombra eu exulto!
9Minha alma se agarra em vós; *
com poder vossa mão me sustenta.R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 20,1-2.11-18

1No primeiro dia da semana,
Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus,
bem de madrugada, quando ainda estava escuro,
e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo.
2Então ela saiu correndo
e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo,
aquele que Jesus amava,
e lhes disse:
“Tiraram o Senhor do túmulo,
e não sabemos onde o colocaram”.
11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando.
Enquanto chorava,
inclinou-se e olhou para dentro do túmulo.
12Viu, então, dois anjos vestidos de branco,
sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus,
um à cabeceira e outro aos pés.
13Os anjos perguntaram:
“Mulher, por que choras?”
Ela respondeu:
“Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”.
14Tendo dito isto,
Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé.
Mas não sabia que era Jesus.
15Jesus perguntou-lhe:
“Mulher, por que choras?
A quem procuras?”
Pensando que era o jardineiro, Maria disse:
“Senhor, se foste tu que o levaste
dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16Então Jesus disse:
“Maria!”
Ela voltou-se e exclamou, em hebraico:
“Rabunni”
(que quer dizer: Mestre).
17Jesus disse:
“Não me segures.
Ainda não subi para junto do Pai.
Mas vai dizer aos meus irmãos:
subo para junto do meu Pai e vosso Pai,
meu Deus e vosso Deus”.
18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos:
“Eu vi o Senhor!”,
e contou o que Jesus lhe tinha dito.
Palavra da Salvação.

Comentário: Monsenhor Paulo Daher

No livro Cântico dos Cânticos 3, 1-4a, O autor sagrado diz: Procurei durante a noite meu amado e não o encontrei. Vou levantar-me e procurá-lo pela praça perguntando a todos se o encontraram
Este trecho, talvez escolhido por ser festa de Santa Maria Madalena é muito sugestivo. O sentimento do amor verdadeiro por alguém é tal que transforma toda a maneira do viver. Ele toca o íntimo do ser de tal forma que nada tem sentido sem a presença da pessoa amada. Alguns santos conseguem descrever a transformação que tiveram quando colocaram sua vida totalmente na mão de Deus. Nós seres humanos dificilmente amamos sem querer retribuição. A experiência de mergulhar no amor de Deus envolve o que somos e sentimos. A alegria, a paz, a felicidade que tomam conta de nós quase nos afasta da realidade que nos cerca. Parecemos já viver no céu, totalmente livres para amar e sermos amados como reflexo do próprio amor de Deus.
Em João 20, 1-2.11-18, Maria Madalena foi cedo aonde Jesus tinha sido sepultado. A pedra tinha sido tirada e o sepulcro estava aberto. Foi avisar a Pedro e João que o sepulcro estava aberto e não sabia onde O tinham colocado. Voltou e ficou chorando. Viu dois anjos que lhe perguntaram: por que choras? Respondeu: levaram meu Senhor e não sei onde o colocaram. Virando-se viu Jesus e não o reconheceu. Ele perguntou: por que choras? Ela pensando que era o jardineiro perguntou: onde o colocaste, quero vê-lo. Jesus a chamou: Maria. Ela então o reconheceu e disse: Meu Mestre! E Jesus: não me toques. Vá dar a notícia aos outros.
Madalena sentira bem profundamente como era o perdão de Deus por seus pecados. Cristo a fez esquecer todo o seu passado. Dedicou-se a Jesus. Sua dor pelos sofrimentos do Mestre que mostrara tanta misericórdia para com ela foi sincera e profunda.
O pecado, afastar-se de Deus, preferir o gozo exagerado da vida abandonando Deus nosso Pai que nos ama tanto, deveria fazer-nos chorar arrependidos… Demoramos para voltar à casa do Pai, sem reparar com que e com quem trocamos nosso Deus tão amoroso. Abusamos da bondade de Deus que como o Pai do Filho Pródigo, todos os dias olha lá longe a estrada de nossa vida para ver se retornamos… Confessemo-nos!