Diocese, Notícias › 06/02/2017

Seminário recebe novos seminaristas

20170205_162556Na tarde de domingo, dia 5 de fevereiro, as portas do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino voltaram a se abrir para receber os 20 novos seminaristas. Depois de serem recepcionados pelos padres e pelos antigos seminaristas, sentiram-se acolhidos por Cristo, ao entrarem no pátio de entrada e ficarem diante da imagem de Jesus, que acolhe a todos que chegam ao Seminário.

20170205_142244Com os novos jovens, o Seminário Diocesano agora conta com 64 seminaristas, que após uma longa caminhada vocacional em suas paróquias, escolheram um dos melhores caminhos, a formação sacerdotal, respondendo sim ao chamado do Senhora: “vem segue-me”. Este é início da caminhada e por isso, após a recepção no pátio do Seminário, foram acolhidos por aquela que é a mãe de todos, Nossa Senhora do Amor Divino, quando na capela rezaram as solenemente as vésperas.

Após a oração, participaram da Missa, onde Cristo, pelas mãos do sacerdote renova o mistério da sua paixão, morte e ressurreição, doando-se a cada seminarista por meio da Hóstia Consagrada, onde encontramos sua presença real e viva entre nós.

A missa foi presidida pelo reitor do Seminário, Padre Luis Henrique. Aproveitando o evangelho onde Jesus fala sobre o sal e a luz, ressaltou que todo cristão deve ser sal e luz no mundo, frisando que a luz de todo cristão vem de Cristo. Após a missa, todos participaram de um jantar solene, com a presença do reitor, Pe. Luiz Henrique, do vice-reitor, Pe. Tiago José e do confessor e Pe. Francisco.

Segue a homilia do Padre Luis Henrique:

“Hoje, com a mesma força, ela é dirigida também a cada um de nós. Quando fomos concebidos, fomos concebidos em trevas, e nós passamos pelo banho da regeneração, o santo batismo, para ai recebermos a luz. Nosso Senhor diz: “Vós sois a luz do mundo”, mas nós não temos luz própria. A nossa luz vem de Deus. E nós, no dia em que fomos batizados, fomos iluminados por Deus, por Cristo, porque ele é a luz.

Quando Nosso Senhor nasceu, e vimos isso agora no natal, escutamos de forma tão bonita: “Eis que uma luz brilha nas trevas”, naquela noite santa de natal vimos isso na segunda leitura, Ele é a luz, e o mesmo Deus que quando nasceu, nasceu como luz, também quando ressuscitou, ressuscitou como luz para dissipar as trevas da alma humana, do coração humano, a treva do mal, a treva do pecado.

Assim fomos iluminados, mas Deus na sua infinita bondade e na sua infinita misericórdia, não só nos concede a sua luz, mas também nos dá a graça de que nós também nos tornemos uma luz, assim como fomos iluminados, ele nos comunica a sua luz para que também nós possamos comunicar aos outra essa mesma luz que liberta, que salva, que traz vida nova, que traz esperança para o coração de cada pessoa.

Que beleza o sacramento do batismo,  o círio pascal e, ali, uma vela é acesa. É acesa naquela chama ali, e foi entregue aos nossos padrinhos: “Recebe a luz de Cristo”,  luz para o bebezinho que estava sendo batizado, para nós. Nós recebemos essa luz! Uma graça toda especial que o Senhor nos deu. Ele não só nos purificou, mas ele nos transformou, nos iluminou, expulsando de nossa vida qualquer treva que pudesse ficar em nós. Assim Ele também nos quer como uma luz.

A luz para nós, ela é muito importante porque recebemos essa luz e temos eu comunicar essa luz. Como que nós comunicamos essa luz para os irmãos, para o mundo? Essa luz se manifesta, como diz o profeta Isaias na primeira leitura, através das boas obras, na medida em que nós praticamos as obras de caridade, na medida em que nós praticamos, podemos falar, as obras de misericórdia, assim nós vamos iluminando o mundo.

O mundo que nós sabemos muito bem que apesar de ter recebido já tanto a luz de Cristo, é um mundo que tende também em buscar as trevas, as trevas do erro, as trevas do mal, as trevas da corrupção, as trevas realmente da maldade que querem imperar, mas nós não podemos permitir. Nós somos aqueles que pela graça do batismo somos chamados a iluminar o mundo com as nossas boas obras, isso para qualquer cristão.

Mas é uma coisa muito especial, o padre é aquele que tem um chamado todo especial para ser uma luz no mundo e iluminar a vida de tantos. Todo cristão deve ser uma luz, mas só o padre pode ser uma luz como Cristo, porque só o padre tem poder sacramental para salvar e iluminar como Cristo salva e ilumina. Meus queridos seminaristas, principalmente você que hoje está ingressando nessa casa de formação, você recebeu um chamado todo especial, e tenha muito carinho com o seu chamado, seja muito feliz com o seu chamado, repito, todo cristão é chamado a ser uma luz, mas você e eu, de forma especial, podemos iluminar a vida das pessoas.

Através das boas obras? Sim, também temos que praticar as boas obras, mas também iluminar a vida das pessoas pelo anuncio da palavra da salvação, pelo poder do santo batismo que nós administramos, pelo poder do sacramento da penitência que nós perdoamos os pecados, pelo poder de iluminar as pessoas com a Santíssima Eucaristia, sós nós podemos fazer isso, nós podemos nos configurar inteiramente a Cristo para sermos uma luz na vida das pessoas”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.