Paróquia da Mosela celebra festa do padroeiro, São Judas Tadeu

Clique na imagem e veja outras fotos

A Paróquia da Mosela, Petrópolis, celebrou em 28 de outubro seu padroeiro São Judas Tadeu, com missa durante todo o dia, sendo a das 9h, presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Gregório Paixão (OSB), com a participação das escolas paroquiais.  Estiveram presentes na missa, concelebrada pelo Pároco, Padre Rogério Dias, funcionários e alunos das escolas São Judas Tadeu, Frei Aniceto, São Francisco de Assis e da Creche São Judas Tadeu.

Por esta ocasião, ao final da Celebração Eucarística, Dom Gregório Paixão recordou o trabalho desenvolvido pelas escolas paroquiais. “Eu acho uma graça muito grande algo que encontrei quando cheguei a Petrópolis, que nós temos 49 colégios paroquiais, que têm convênio com a Prefeitura, mas a responsabilidade é da Igreja Católica de cuidar dessas escolas paroquiais que atendem 9 mil alunos. Nós temos três creches paroquiais, que têm um trabalho muito bonito”.

Recordou ainda que na Diocese há “seis fazendas que atendem pessoas que se envolveram com substâncias ilícitas, drogas, bebidas”, além de “quase 4 mil cestas básicas que a Diocese distribui pelas paróquias”.

“É uma graça muito grande a obra que nasce pela fé”, declarou e convidou todos a “continuar colaborando” e a “rezar de modo especial por todo este trabalho social”.

Durante sua homilia, o Bispo diocesano recordou o exemplo de São Judas Tadeu, que era primo de Jesus. Nesse sentido, declarou que a conhecida frase “santo de casa não faz milagre” não cabe no caso de Cristo.

“Jesus fez milagre em sua própria família, entre os seus. São Judas Tadeu é primo de Jesus Cristo e sobrinho da Virgem Maria e também do pai adotivo de Jesus, São José. Também é tio dos apóstolos Tiago e João. Ou seja, pessoas da família abandonaram tudo para seguir Jesus Cristo”, disso, indicando “como o efeito da palavra de Jesus ressoou dentro de sua casa, em João Batista, em Isabel, em Zacarias, em José, em Maria e naquelas dentro da família que também foram seguidores de Jesus Cristo”.

Sobre São Judas Tadeu, Dom Gregório ressaltou que, segundo “a tradição, ele tinha a face muito parecida com a de Jesus, tanto que algumas imagens de São Judas Tadeu tem uma medalhinha (no peito) com a face de Jesus”.

Entretanto, conforme explicou, este fato serve “apenas para dar o ensinamento às pessoas de que o mais importante não é carregar os traços do rosto, tampouco o parentesco ou dizer ‘eu sou de Jesus Cristo’; o mais importante é o seguimento, é abraçar a escolha de Jesus, é abraçar aquilo que Ele nos trouxe, é abraçar Sua palavra, é abraçar integralmente o seu ensinamento”.

Durante todo o dia, muitos devotos de São Judas Tadeu participaram das Missas, recorrendo a este é que conhecido como o santo dos casos desesperados ou das causas impossíveis.

Conforme recordou o pároco, Padre Rogério Dias, na homilia da Missa Solene de encerramento da festa, por muitos anos, os cristãos deixaram de invocar a intercessão de São Judas Tadeu, pois ele tinha o mesmo nome do apóstolo que traiu Jesus, Judas.

Porém, contou que “o próprio Jesus apareceu a Santa Brígida e disse: Em casos e situações muito peculiares que exigem graças especiais, pode recorrer a São Judas, que concederei graças especiais a essas pessoas que recorrerem à intercessão do meu apóstolo fiel Judas Tadeu”. Assim, assinalou como o santo, que antes havia sido esquecido, agora tem uma multidão de devotos.

“Hoje, dia 28 de outubro, quanta graça e quanta bênção. Fizemos nossa novena a São Judas Tadeu e hoje celebramos sete missas. Quantos fiéis passaram por esta igreja dedicada a São Judas, agradecendo a Deus, louvando a Deus, pedindo a Deus graças especiais. Ao longo do dia, atendemos confissões, ministramos o sacramento da unção dos enfermos, celebramos a Missa, escutamos muitos testemunhos belíssimos. Deus continua nos ouvindo e nos cumulando de graças especiais por intercessão de nosso querido padroeiro, São Judas Tadeu”, completou.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.