N. Sra. da Ajuda  Guapimirim

N. Sra. da Ajuda Guapimirim

Rua Professor Rocha Faria, 500, Centro, CEP: 25940-000, Guapimirim, RJ


Telefone: (21) 2632-1218
E-mail: nsajuda-guapi@diocesepetropolis.org.br / nsradaajuda@yahoo.com.br
Administrador Paroquial: Pe. Marllon Eduard Gonçalves

Administrador Paroquial: Pe. Marllon Eduard Gonçalves

 

Diácono Permanente:
Diac. José Pedro Medeiros


Igreja Matriz

De segunda a quarta-feria: 7h30
Quinta-feira: 19h
Primeira sexta-feira do mês: 18h
Sábado: 19h
Domingo: 10h e 19h

Capelas Paroquiais:

Nossa Senhora da Conceição
Estrada da Barreira

Nossa Senhora do Rosário
Estrada da Caneca Fina – Guapimirim

Sagrado Coração de Jesus
Segredo

Segunda, quarta e quinta-feira: das 8h às 12 h e das 14 às 17h
Sábado: das 8h às 13h.

BREVE HISTÓRICO DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA AJUDA – GUAPIMIRIM-RJ

É Impossível falar de nossa Paróquia sem esbarrar ao menos um pouco na história do município, o qual já se chamou: “Freguesia de Nossa Senhora da Ajuda”…

A origem de Guapimirim foi a partir de doação de Terras inóspitas de Magepemirim a Cristóvão Barros, em 1565. É a capitania que primeiro foi oferecida a Pedro de Goé, que não levou adiante devido a hostilidade dos índios, os quais acabavam morrendo ou escravizados para trabalharem nas naus dos piratas franceses que invadiam nossas águas, uma vez que Guapimirim limita-se com a Baía de Guanabara.

Os índios que não aceitaram o domínio francês refugiaram-se em Sernambetiba, no “Vale das Pedrinhas”. Escritos de 1674 do Monsenhor José de Souza Azevedo Pazarra de Araújo, dão conta da formação do povoado, chamado “Aguapeí-mirim”, por se localizar as margens do rio que possuía o mesmo nome, que na tradução indígena (o primeiro povo a habitar essa terra), quer dizer: “rio de peixe pequeno”. Este rio era de grande importância já que eraa “única estrada” (transporte fluvial) que ligava o povoado a Baía de Guanabara ao restante da região, cujos habitantes seriam os tais índios, o utilizava também para sua agricultura.

O trabalho de 44 anos realizado pelo Padre José de Anchieta não pode ser esquecido, uma vez que lutava em defesa destes índios, procurando fazer uma descrição e classificação de coisas de terra, tendo por isso recebido o título do Primeiro defensor dos direitos dos homens e da natureza das terras fluminenses.

A primeira igreja da localidadefoi criada pelos irmãos: Pedro GagoeEstevão Gago, próxima também do rio Sernambetiba. O povoado passa a se chamar: “Povoado Nossa Senhora da Ajuda” que é o mesmo da igreja do local. Algum tempo depois, foi promovido a Freguesia quando desmembrou-se do território de “Santo Antonio de Sá” e foi anexado a Magé que tinha status de Vila.

Nenhuma dúvida há, a respeito da sua antiguidade antes de 1674, por existirem datada da mesma. Era as Constituições ali deixadas pelo Prelado Silveira, depois de sua Visita Geral da Diocese, para bom governo, e direção dos Capelões Curados.

Mais tarde, com a abolição da escravatura, houve considerável êxodo dos antigos escravos, ocasionando terrível crise econômica. Esse fato, aliado a insalubridade da região, fez com que desaparecessem as grandes plantações. O abandono das terras provocou a obstrução dos rios que cortam quase toda baixada do território municipal, alagando-a.Houve então a propagação da malária, que reduziu a População local e paralisou várias décadas o desenvolvimento econômico da região.

Por causa da Malária, a igreja acaba sendo abandonada e entra em ruínas. O templo foi demolido e a igreja de Nossa Senhora da Conceição, construída pelo Pe. Antonio Vaz Tavares na Fazenda da Barreira (1713) se torna a Matriz.

Mais tarde no Bananal, as tropas de mascotes por ali criaram na época a única rota para Minas Gerais, para se apoderar do ouro mineiro.

Entre 1726 e 1729, Antonio Pacheco Barreto doou o outreiro dos Igramixamas junto ao Rio Guapimirim, onde se construiu a nova Matriz que foi concluída em 1753. A sede paroquial recebeu oficialmente o alvará no dia 15 de janeiro de 1755, criando a paróquia de N. Senhora da Ajuda de Guapimirim. Criação oficial aprovada pela autoridade real, porém eclesiasticamente já funcionava.

Pela descrição era um templo imponente e de grande magnificência, supondo-se que a imagem tenha chegado nessa época para estar de acordo com a grandiosidade da igreja. A suposição decorre do fato de ter sido aquela, a época em que o ouro retirado do Brasil permitia toda espécie de prodigalidades. Tinha cinco altares, conservando-se, no principal, o Santíssimo Sacramento. Seu primeiro Pároco Próprio foi o padre Antonio Ribeiro Rangel entrou a servir em 1750, o segundo Pe. José de Souza Pereira (1769), e o terceiro Pe. Anastácio Ferreira daCruz.

Foi o padre Antonio Ribeiro Rangel o primeiro vigário da matriz, uma das que mais progrediram mormalmente depois da utilização do novo caminho para Minas , quando então, Bananal e outros lugares atingiram condições de riqueza e esplendor. Pesquisadores acreditam ser essa a causa que provocou o deslocamento dos habitantes do povoado nas cercanias da matriz, para outro lugar de melhor clima e maiores possibilidades de comércio determinando um começo de decadência para a igreja.

A matriz de Nossa Senhora da Ajuda ficou em ruínas e em 1907, devido à decadência do lugar, a imagem de Nossa Senhora da Ajuda ficou guardada em Magé.

Depois a imagem foi levada para nova vila que recebeu o nome de Guapimirim, para a igreja de São Jorge, e, no dia 8 de Abril de 1956 foi novamente reativada como Paróquia Nossa Senhora da Ajudacomo pelo primeiro pároco Pe. Eugenio Garcez.

A primeira igreja trata-se de uma construção datada de 1935. Inicialmente erguida como Capela de São Jorge, sua construção deve-se a iniciativa e esforços dos ferroviários, que contando com o auxílio alheio, conseguiram levar adiante o empreendimento, que depois foi ampliado.

Estes ferroviários trabalhavam na Estrada de Ferro Teresópolis, a qual foi inaugurada em 19 de Setembro de 1906, que levou a região alcançar grande impulso econômico, pois passou a ter condições de transportar para grandes centros toda a sua produção agrícola, culminando com a construção em 1926, da estação ferroviária de Guapimirim e, apartir dela,das primeiras edificações urbanas.

A matriz não possuía o aspecto grandioso e imponente que deveria possuir: modesta, pobre em arte e relativamente pequena para a localidade. Porém, todos esses inconvenientes eram simplesmente desculpáveis, já que a construção iniciou-se como capela.

Em 1987 o vigário Monsenhor Ildeu Ferreira Malta, demoliu a antiga capela, por apresentar estrutura comprometida e por ser pequena para a população. Ele começou as obras da atual Paróquia, a qualfoi inaugurada no dia 21 de janeiro de 1990. Monsenhor Ildeu exerceu o sacerdócio em nossa paróquia no períodode1985 a 2009 e se tornou pároco emérito. Depois se tornou Vigário na cidade de Magé (N. Sra. da Piedade) de 2009 até o seu falecimento em janeiro de 2016 com 70 anos de idade.

Nossa Senhora, por mais que tenham mudado sua casa tantas vezes, sempre quis fazer sua morada em Guapimirim. Nada mais justo que ela seja nossa Padroeira, protetora e amada!

Nossa Senhora da Ajuda, rogai por nós!

Artigo escrito por: Ana Carolina de Aragão Lúcio

Elaborado através da Pesquisa para a monografia de Alba Valéria de Aragão Lúcio (Formada em história).