Liturgia diária › 12/08/2017

Ano A – Sábado da 18ª Semana do TC – Evangelho – Mt 17,14-20

Liturgia da Horas
Ofício da 2ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Verde – Missa: Prefácio Tempo Comum.

Leituras do Dia

1ª Leitura do Livro do Deuteronômio 6,4-13

Moisés falou ao povo, dizendo:
4Ouve, Israel,
o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor.
5Amarás o Senhor teu Deus
com todo o teu coração,
com toda a tua alma
e com todas as tuas forças.
6E trarás gravadas em teu coração
todas estas palavras que hoje te ordeno.
7Tu as repetirás com insistência aos teus filhos
e delas falarás quando estiveres sentado em tua casa,
ou andando pelos caminhos,
quando te deitares, ou te levantares.
8Tu as prenderás como sinal em tua mão
e as colocarás como um sinal entre os teus olhos;
9tu as escreverás nas entradas da tua casa
e nas portas da tua cidade.
10Quando o Senhor te introduzir
na terra que prometeu com juramento a teus pais,
Abraão, Isaac e Jacó, que te daria,
com cidades grandes e belas que não edificaste,
11casas cheias de toda espécie de bens
que não acumulaste,
cisternas já escavadas que não cavaste,
vinhas e oliveiras que não plantaste;
e quando comeres e te fartares,
12então, cuida bem de não esqueceres o 
Senhor que te tirou do Egito,
da casa da escravidão.
13Temerás o Senhor teu Deus,
a ele servirás e só pelo seu nome jurarás.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 17,2-3a. 3bc-4. 47.51ab (R. 2)

R. Eu vos amo, ó Senhor, sois minha força e salvação.

2Eu vos amo, ó Senhor! Sois minha força,*
3aminha rocha, meu refúgio e Salvador!
Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga,*
minha força e poderosa salvação.R.

3bcÓ meu Deus, sois o rochedo que me abriga*
sois meu escudo e proteçóo: em vós espero!
4Invocarei o meu Senhor: a ele a glória!*
e dos meus perseguidores serei salvo!R.

47Viva o Senhor! Bendito seja o meu Rochedo!*
E louvado seja Deus, meu Salvador!
51aConcedeis ao vosso rei grandes vitórias*
51be mostrais misericórdia ao vosso Ungido.R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 17,14-20

14Naquele tempo,
chegando Jesus e seus discípulos junto da multidão,
um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se e disse:
15‘Senhor, tem piedade do meu filho.
Ele é epilético, e sofre ataques tão fortes
que muitas vezes cai no fogo ou na água.
16Levei-o aos teus discípulos,
mas eles não conseguiram curá-lo!’
17Jesus respondeu:
‘Ó gente sem fé e perversa!
Até quando deverei ficar convosco?
Até quando vos suportarei?
Trazei aqui o menino.’
18Então Jesus o ameaçou e o demônio saiu dele.
Na mesma hora o menino ficou curado.
19Então, os discípulos aproximaram-se de Jesus
e lhe perguntaram em particular:
‘Por que nós não conseguimos expulsar o demônio?’
20Jesus respondeu:
‘Porque a vossa fé é demasiado pequena.
Em verdade vos digo, se vós tiverdes fé
do tamanho de uma semente de mostarda,
direis a esta montanha:
‘Vai daqui para lá e ela irá.
E nada vos será impossível.’
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

No livro do Deuteronômio 6,4-13,  Moisés falou ao povo: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração. Manterás gravadas em teu coração as minhas palavras. E as repetirás para teus filhos. Procura escreve-las por toda a parte. Quando entrares na terra prometida a teus pais verás que tudo foi preparado para ti. Cuida de não esqueceres o teu Deus que te tirou do Egito. Temerás o Senhor e a Ele servirás.

Esta palavra de Moisés: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor, é um grito, um som bem estridente de uma trombeta, anúncio solene de proclamação da verdade de fé sobre a existência e o poder de Deus.

As palavras de Moisés confirmam o que cada um de nós possui em sua consciência moral e religiosa. Mas como cabe aos pais ensinar aos filhos tudo o que precisam aprender para bem viver, conhecendo a vida humana em si mesma e a existência de um Deus que nos ama, assim Moisés relem-bra ao povo o que precisa saber para conduzir melhor sua vida na nova terra.

Primeira atitude da fé: eu creio em Deus, que é o único Deus. Ele que é poderoso e está acima de tudo e de todos, acompanha bem de perto a vida de seus filhos que criou com muito carinho.

Porque nossa memória às vezes se sente acumulada de mil informa-ções, esquecemos com facilidade o que o Senhor gravou em cada um de nós. Por isso pede que tenhamos escrito por toda a parte a lembrança da presença de Deus, seu poder, seu amor sempre ativo.

Precisamos sempre lembrar-nos de Quem nos ama tanto.

Nossa Igreja multiplica os sinais e símbolos para sempre termos diante de nós, Aquele que nos assiste sempre mas que muitas vezes não o vemos  por causa de nossas eternas distrações e buscas enganosas.

Cuidemos sempre de jamais esquecer Quem nos ama tanto!

Em Mateus 17, 14-20, um pai chegou a Jesus pedindo por seu filho que sofria ataques forte, caindo na água e no fogo. Os discípulos não conseguiram cura-lo. Jesus pediu que trouxessem o menino e o curou. Os discípulos perguntaram porque não tinham conseguido curá-lo. Jesus disse: vocês tem fé pequena. Se fosse grande, transportariam até uma montanha.

Mais uma lição prática que orienta nosso modo de viver e de agir.

Os apóstolos, parece, pela facilidade de realizar milagres em nome de Jesus, tiveram mais uma lição de vida. Não foram eles que foram dizer a Jesus o não terem podido curar aquele jovem. Parece que não conseguindo, foram adiante sem vir dizer a Cristo. Foi o pai aflito.

Pode acontecer que nossa maneira religiosa de viver tão igual se torne uma rotina sem muitas preocupações. É por isso que é bom de vez em quando uma parada para um retiro espiritual, ou para sentar e fazer uma avaliação de como nossa vida está indo. Não podemos nos acomodar nem com as ações religiosas que estivermos realizando.

Desde o Santo Padre, os senhores Cardeais, os bispos, os sacerdotes tem de programar cada ano um retiro espiritual para se reabastecer com a graça do Senhor e muitas orações. E renovar sua maneira de viver e agir.

Não basta entregar sua vida a serviço do reino, e agir conforme as necessidades ou como se alistasse num grupo religioso para constar.

Cada dia tem de ser um novo dia. Já nem sempre encontramos as mesmas pessoas, nem os mesmos problemas. Isto pede de nós atenção para não sermos repetitivos. As crianças conforme vão crescendo, cada dia apresentam alguma novidade. É o que alegra sempre mais uma casa.

Assim até se ajudados pela leitura da Palavra de Deus, teremos ocasião de orações inspiradas pela riqueza e variedade das mensagens do Senhor.

Os orientadores de vida religiosa nos aconselham a que cada dia, à noite façamos um exame de consciência sobre o andamento do dia para louvar, agradecer, pedir perdão e renovar nosso compromisso de fidelidade ao Amor de nosso bom Deus e Pai.