Liturgia diária › 21/11/2020

Ano A (Par) – Apresentação de Nossa Senhora – Evangelho – Mt 12,46-50

Leitura da Profecia de Zacarias 2,14-17

14`Rejubila, alegra-te, cidade de Sião,
eis que venho para habitar no meio de ti,
diz o Senhor.
15Muitas naçðes se aproximarão do Senhor, naquele dia,
e serão o seu povo.
Habitarei no meio de ti,
e saberás que o Senhor dos exércitos
me enviou a ti.
16O Senhor entrará em posse de Judá,
como sua porção na terra santa,
e escolherá de novo Jerusalém.
17Emudeça todo mortal diante do Senhor,
ele acaba de levantar-se de sua santa habitação’.
Palavra do Senhor.

Salmo – Lc 1,46-47. 48-49. 50-51. 52-53. 54-55 (R.Cf.54b)

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

46A minh’alma engrandece ao Senhor, *
47e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,R.

48pois, ele viu a pequenez de sua serva, *
eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita.
49O Poderoso fez por mim maravilhas *
e Santo é o seu nome!R.

50Seu amor, de geração em geração, *
chega a todos que o respeitam.
51Demonstrou o poder de seu braço, *
dispersou os orgulhosos.R.

52Derrubou os poderosos de seus tronos *
e os humildes exaltou.
53De bens saciou os famintos *
e despediu, sem nada, os ricos.R.

54Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,
55como havia prometido aos nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 12,46-50

Naquele tempo:
46Enquanto Jesus estava falando às multidões,
sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora,
procurando falar com ele.
47Alguém disse a Jesus:
‘Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora,
e querem falar contigo.’
48Jesus perguntou àquele que tinha falado:
‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’
49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse:
‘Eis minha mãe e meus irmãos.
50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai,
que está nos céus,
esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.’
Palavra da Salvação.

Comentário: Monsenhor Paulo Daher

Em Zacarias, 2, 10-13 ou 14-17: Solta gritos de alegria filha de Sião. Venho residir em meio a ti. Virão muitas nações do Senhor e se tornarão o meu povo: habitarei no meio de ti e saberás que fui enviado a ti pelo Senhor que possuirá Judá como seu domínio e Jerusalém será de novo sua cidade escolhida. Toda criatura esteja em silêncio diante do Senhor: ei-lo que surge de sua santa morada.
Este pequeno trecho do profeta, nossa Igreja aplica à nossa Senhora na festa chamada da Apresentação de Maria ao templo de Deus. E é muito sugestivo no que mostra e no que podemos dizer de Maria.
Em festas de crianças e também em família cujos membros são muito unidos e festeiros, a alegria é ruidosamente manifestada.
Maria é filha de Sião, isto é, judia, pertencente ao povo escolhido. Filha de Sião. Deus quis morar, estar presente na história deste povo, que realiza parte da História da Salvação de todos os seres humanos, enfim assumida por Jesus.
A finalidade deste povo não é fechar-se em si mesmo. A ele afluirão todos os povos para conhecer e receber a salvação do Salvador.
O povo judeu com seu templo, com seus personagens importantes realizou a primeira parte desta história, por que o verdadeiro povo será o povo completo que terá como condutor definitivo e guia o próprio Cristo.
Nossa Igreja escolheu este trecho para também espelhar a figura de Maria em sua entrega total a Deus, desde o início de sua vida. Podemos aplicar a Maria sua função também de Mãe da Igreja e Mãe de todos os povos, porque assim Jesus o quis: “Eis aí, tua Mãe.”(Jo 19,26s)
Podemos dizer hoje com certeza que Deus é manifestado presente em todos os povos pela nossa religião. E Maria, Mãe da Igreja acompanha de perto a ação da Igreja de seu Filho.
Como Maria foi sempre desde que iniciou sua vida neste mundo envolvida pelo Amor de Deus, foi também destinada a manifestar este Amor a todas as pessoas. E ir ao encontro de todos os que precisam da presença de Cristo em suas vidas.
Se Maria se põe à disposição de todos nós, como Mãe cuidadosa, se sempre nos oferece sua alegria, como filha de Sião, filha predileta de Deus, não a deixemos esperando. Pois sempre precisamos de seus conselhos, de suas palavras de atenção e carinho para que moldados por ela possamos parecer cada dia melhores com o rosto de seu amado Filho.

Em Mateus, 12, 46-50, Jesus estava falando ás multidões, quando sua mãe e parentes queriam falar com ele. Jesus respondeu: “Quem é minha mãe, quem são meus parentes?” E apontando para seus discípulos disse: “eis aqui minha mãe e meus parentes. Todo aquele que faz a vontade de meu Pai é meu irmão e meus parentes.”
À primeira vista, Jesus parece não dar atenção à sua mãe. Mas na afirmação final ele a consagra entre seus verdadeiros familiares porque ela havia dito ao anjo Gabriel: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E sempre seguiu o que Deus lhe pedira durante toda a sua vida.(E vai mostrar mais tarde ainda ao pé da cruz!)
Santo Agostinho comenta (Sermão 25, 7-8), Maria é feliz, porque ouviu a palavra de Deus e a guardou. Guardou a verdade na mente mais do que a carne no seio, Verdade, Cristo; carne, Cristo, a verdade- Cristo na mente de Maria; a carne-Cristo no seio de Maria. É maior o que está na mente do que o trazido no seio.
Maria foi preparada por Deus para o amar com todo o seu ser. E também foi preparada na convivência com Cristo em Nazaré para com ele ir ao encontro de todos os que precisam descobrir e aceitar o amor de Cristo por eles.