Liturgia diária › 06/12/2019

Ano A (Par) – 6ª feira da 1ª Semana do Advento – Evangelho – Mt 9,27-31

1ª sexta-feira do mês. Ofício do dia de semana do TAdv. Missa pr. com Coleta da 1ª semana: Pf do Advento I

Liturgia das Horas
Laudes (manhã) – Vésperas (tarde) – Completas (Noite)

Leituras

1ª Leitura – Is 29,17-24

Assim fala o Senhor Deus:
17Dentro de pouco tempo,
não se transformará o Líbano em jardim?
E não poderá o jardim tornar-se floresta?
18Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro
e os olhos dos cegos verão,
no meio das trevas e das sombras.
19Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor,
e os mais pobres dos homens
se rejubilarão no Santo de Israel;
20fracassou o prepotente,
desapareceu o trapaceiro,
e sucumbiram todos os malfeitores precoces,
21os que faziam os outros pecar por palavras,
e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade
e atacavam o justo com palavras falsas.
22Isto diz o Senhor
à casa de Jacó, ele que libertou Abraão:
‘Agora, Jacó não mais terá que envergonhar-se
nem seu rosto terá que enrubescer;
23quando contemplarem as obras de minhas mãos,
hão de honrar meu nome no meio do povo,
honrarão o Santo de Jacó,
e temerão o Deus de Israel;
24os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria
e os maldizentes concordarão em aprender’.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 26 (27), 1. 4. 13-14 (R.1a)

R. O Senhor é minha luz e salvação.

1O Senhor é minha luz e salvação;*
de quem eu terei medo?
O Senhor é a proteção da minha vida;
perante quem eu tremerei?R.

4Ao Senhor eu peço apenas uma coisa,*
e é só isto que eu desejo:
habitar no santuário do Senhor*
por toda a minha vida;
saborear a suavidade do Senhor*
e contemplá-lo no seu templo. R.

13Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver*
na terra dos viventes.
14Espera no Senhor e tem coragem,*
espera no Senhor! R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9,27-31

Naquele tempo:
27Partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando:
‘Tem piedade de nós, filho de Davi!’
28Quando Jesus entrou em casa,
os cegos se aproximaram dele.
Então Jesus perguntou-lhes:
‘Vós acreditais que eu posso fazer isso?’
Eles responderam: ‘Sim, Senhor.’
29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo:
‘Faça-se conforme a vossa fé.’
30E os olhos deles se abriram.
Jesus os advertiu severamente:
‘Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo.’
31Mas eles saíram,
e espalharam sua fama por toda aquela região.
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher (1931/2019)

6ªfeira da 1ª Semana do Advento

Isaías, 29, 17- 24 – Dentro de pouco tempo o Líbano vai se transformar em jardim. Então os surdos ouvirão, os cegos enxergarão, os pobres e humildes se alegrarão. Todos se vestirão de sabedoria e encontrarão a paz. Os humildes e pobres se alegrarão. Vão desaparecer os que fazem a maldade. E por minhas mãos hão de honrar meu nome pela sabedoria e na vontade de aprender.

Em muitos momentos da história humana, de modo especial no tempo do povo de Deus, os profetas observando o decorrer da vida das pessoas percebem as transformações pessoais, familiares e sociais dos povos.

E na expectativa da vinda do Salvador, que haverá de abrir caminhos para renovar a vida de todos, os profetas se valem de imagens que significam melhoria para todos. Mas sempre a mudança não é só pela generosidade de Deus, por sua bondade, e sim, porque o Senhor confia nas pessoas, oferece meios de mudar o que não esteja contribuindo para realizar a felicidade verdadeira.

A imagem da primavera ou de jardins floridos encaminham nossos pensamentos para uma confiança maior no que Deus quer e pode fazer para alegrar nossa vida. Surdos, cegos, pobres em todos os sentidos vão sentir de perto que sua condição precária de saúde não impede que o Senhor venha estar com eles. E não só. Vai curá-los desta deficiência corporal  e também espiritual.

A maneira comum de entendermos e querermos sucesso, de sermos elogiados pelas qualidades que temos, ou por condições agora que nos vão garantir um futuro muito bom, ás vezes distorcem o verdadeiro sentido da felicidade.

Apresentamos o modelo de vida que nos dá garantia com que nos realizaremos muito bem na vida.

Entendam o melhor possível o que vou escrever. Uma criança especial (por deficiência física principalmente!), pode parecer para muita gente um coitadinho!  Conheci e conheço crianças e adultos assim que dentro da limitação que tem, se sentem tão felizes, amados e manifestam um carinho mais puro de um amor verdadeiro quando gostam de uma pessoa.

A felicidade se manifesta muito mais pelo sentimento verdadeiro que existe entre pessoas que se querem bem, muito mais pelo que são, que por não se apresentarem iguais aos modelos que a sociedade apresenta.

Mateus, 9, 27-31 – Dois cegos seguiam Jesus gritando: Filho de Davi, tem piedade de mim. Chegando em casa, Jesus pergunta se acreditam que Ele os possa curar. Eles dizem que sim. E Jesus: seja feito como pediram. E seus olhos se abriram. Que não contem a ninguém.

A fama de Jesus se espalhava por toda a parte. Sua palavra, sua atenção a qualquer pessoa e de modo especial seus milagres. Foram uma revolução principalmente na Palestina onde viveu. Mas quem vinha a Jerusalém para as festas da Páscoa, quando voltava para sua cidade e país espalhava a notícia de que o Cristo, deveria ser o Salvador esperado: cumpria tudo de que os profetas haviam falado.

Os pobres cegos que pela tradição dos judeus deviam ficar afastados da cidade, souberam tudo sobre Jesus. Quando perceberam que Ele estava passando por ali, gritaram por ele. Jesus segue seu caminho como a esperar mais confiança ainda nele.  E chegando em casa, claro que via que eles eram cegos, Jesus pergunta se eles acreditavam que ele poderia curá-los. Respondendo que sim, foram curados.

Gritavam!  Quando a dor é grande, quando a necessidade aperta, e custa a acontecer o que queremos, gritamos.

Hoje ouvimos muitos gritos, em campos de esportes, em espetáculos musicais, em passeatas. O grito que em sua manifestação espontânea é sinal de dor ou medo, hoje misturou-se a tantos outros sentimentos. Em geral é manifestação de que estamos gostando do que vemos e ouvimos.

Mas há tantos gritos ruidosos ou silenciosos que não são ouvidos por nós. Quando o barulho toma conta de nossa vida, em casa, em lugares de aglomeração de pessoas, o diálogo se torna difícil. Não gosto de almoçar em lugares em que o barulho das vozes ou música é ensurdecedor.

Por causa do grande barulho de nossa vida, nem sempre ouvimos o grito de socorro de tanta gente. Dos pobres, abandonados, crianças carentes, pessoas com problemas psicológicos, familiares etc. Estamos nos tornando surdos aos gritos dos necessitados. E às vezes nem ouvimos os gritos de nós mesmos, cansados de só viver para fora, sem nem um momento de silencio nem descanso.

Senhor, que meus olhos, meus ouvidos se abram ao espetáculo maravilhoso de vida que todos os dias me apresentas!