Liturgia diária › 12/10/2017

Ano A – 5ª-feira da 27ª Semana do TC – Evangelho – Jo 2,1-11

Liturgia da Horas
Ofício da 3ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Branco – Missa: Prefácio próprio.

Leituras do Dia

1ª Leitura do Livro de Ester 5,1b-2; 7,2b-3

1bEster revestiu-se com vestes de rainha
e foi colocar-se no vestíbulo interno do palácio real,
frente à residência do rei.
O rei estava sentado no trono real,
na sala do trono, frente à entrada.
2Ao ver a rainha Ester parada no vestíbulo,
olhou para ela com agrado
e estendeu-lhe o cetro de ouro que tinha na mão,
e Ester aproximou-se para tocar a ponta do cetro.
7,2bEntão, o rei lhe disse:
“O que me pedes, Ester; o que queres que eu faça?
Ainda que me pedisses a metade do meu reino,
ela te seria concedida”.
3Ester respondeu-lhe:
“Se ganhei as tuas boas graças, ó rei,
e se for de teu agrado,
concede-me a vida – eis o meu pedido! –
e a vida do meu povo – eis o meu desejo!
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 44(45),11-12a.12b-13.14-15a.15b-16 (R. 11.12a)

R. Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:
que o Rei se encante com vossa beleza!

11Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: +
“Esquecei vosso povo e a casa paterna! *
12aQue o Rei se encante com vossa beleza! R.

12bPrestai-lhe homenagem: é vosso Senhor! +
13O povo de Tiro vos traz seus presentes, *
os grandes do povo vos pedem favores. R.

14Majestosa, a princesa real vem chegando, +
vestida de ricos brocados de ouro, *
15aEm vestes vistosas ao Rei se dirige, R.

15be as virgens amigas lhe formam cortejo, +
16entre cantos de festa e com grande alegria, *
ingressam, então, no palácio real”. R.

2ª Leitura do Livro do Apocalipse de São João 12,1.5.13a.15-16a

1Apareceu no céu um grande sinal:
uma mulher vestida do sol,
tendo a lua debaixo dos pés
e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas.
5E ela deu à luz um filho homem,
que veio para governar todas as nações
com cetro de ferro.
Mas o filho foi levado para junto de Deus
e do seu trono.
13aQuando viu que tinha sido expulso para a terra,
o dragão começou a perseguir a mulher
que tinha dado à luz o menino.
15A serpente, então,
vomitou como um rio de água atrás da mulher,
a fim de a submergir.
16aA terra, porém, veio em socorro da mulher.
Palavra do Senhor.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 2,1-11

Naquele tempo:
1Houve um casamento em Caná da Galiléia.
A mãe de Jesus estava presente.
2Também Jesus e seus discípulos
tinham sido convidados para o casamento.
3Como o vinho veio a faltar,
a mãe de Jesus lhe disse:
“Eles não têm mais vinho”.
4“Mulher, por que dizes isto a mim?
Minha hora ainda não chegou.”
5Sua mãe disse aos que estavam servindo:
“Fazei o que ele vos disser”.
6Estavam seis talhas de pedra colocadas aí
para a purificação que os judeus costumam fazer.
Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros.
7Jesus disse aos que estavam servindo:
“Enchei as talhas de água”.
Encheram-nas até a boca.
8Jesus disse:
“Agora tirai e levai ao mestre-sala”.
E eles levaram.
9O mestre-sala experimentou a água,
que se tinha transformado em vinho.
Ele não sabia de onde vinha,
mas os que estavam servindo sabiam,
pois eram eles que tinham tirado a água.
10O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse:
“Todo mundo serve primeiro o vinho melhor
e, quando os convidados já estão embriagados,
serve o vinho menos bom.
Mas tu guardaste o vinho melhor até agora!”
11Este foi o início dos sinais de Jesus.
Ele o realizou em Caná da Galiléia
e manifestou a sua glória,
e seus discípulos creram nele.
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

No livro de Ester 5, 1b-2; 7, 2b-3,   Ester vestiu roupas de rainha, apresentou-se ao rei, que lhe disse:”pede o que quiseres, mesmo que seja metade de meu reino.” A rainha disse: “se for de teu agrado, concede-me a vida –  eis o meu pedido – e a vida de meu povo.”

A rainha Ester então suplicou por seu povo que estava sendo perseguido pelo perverso ministro do rei, Amã. Não pede por si, que também era judia, mas por seu povo. E foi ouvida.

Nossa Igreja vê na pessoa da rainha Ester a figura de Nossa Senhora que intercede a Jesus por todos nós  pecadores.

A intercessão de Mãe, Maria já começou na vida de Jesus, p.ex., no casamento em Caná (Jo 2, 1-13). No início da Igreja em Pentecostes(At 1, 14) e durante toda a História da Igreja em todos os tempos e países.

Como Nossa Senhora vive seu papel de intercessora pelas pessoas junto a seu Filho Jesus?

Jesus na cruz, antes de falecer deixou a todas as pessoas como herança sua própria Mãe.(Jo 19, 26s)

Jesus é também filho de Maria, e como o melhor dos filhos confia totalmente nela quando lhe dá poder de se aproximar d´Ele para pedir o que quiser. E Maria, coração de mãe, cheio de misericórdia, entende como o coração de seu Filho sofre por verem muitos filhos não ouvirem nem seguirem seus conselhos.

U´a mãe, se pudesse, faria tudo para ajudar a seus filhos a seguir os caminhos de uma vida melhor, afastando-se do que os prejudica. Maria pelo amor de seu Filho conhece a necessidade que cada ser humano tem de  escolher uma vida melhor. Está sempre disposta a ajudar.

Todos conhecemos fatos que os mostram este zelo de Mãe que Maria tem e o que tem feito por milhares de pessoas.

Na vida dos santos conhecemos o muito que Nossa Senhora fez por tantas pessoas que confiaram nela.

Maria, quero confirmar o que meus pais e padrinhos fizeram por mim depois de meu batismo: renovo minha consagração a Ti, entrego toda a minha vida a Ti, para que me conserve sempre filho teu e amigo de Jesus.

No livro Apocalipse 12, 1.5.13a.15-16a,   apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol com a lua debaixo de seus pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela deu à luz um filho homem que irá governar todos os povos.  O dragão vomitou um rio de água contra a criança. Mas a terra engoliu  o rio.

Nesta mulher, nossa Igreja vê Maria, com seu Filho Jesus.

Vestida de sol: toda iluminada pela graça, pelo amor de Deus, a cheia de graça, como a saudou o anjo Gabriel (Lc 1, 28). Nela a presença de Deus é total quanto uma criatura possa conte-Lo. E acolhido com muito amor. Seu amor vai além de aceitar todo o amor de Deus nela, coloca-se nas mãos do Senhor, à sua disposição (escrava!)

A lua em muitas culturas é fonte de inspiração para o povo e de modo especial para os poetas. Reflete, na face oculta da terra quando o sol gira, a luz do mesmo sol.

Sem multiplicar simbolismos, pensemos: o sol é luz, como Deus. A luz refletida na lua são as criaturas que O refletem. Maria é a imagem mais perfeita de Deus que é o sol de sua vida. E mais não só O guarda para si mas ilumina as noites de nossas vidas,

Sobre sua cabeça a coroa de doze estrelas. Os doze apóstolos, a Igreja de Cristo, pois Maria é a Mãe da Igreja, que também manifesta a presença e ação salvadora de seu Filho

A imagem de Maria Imaculada nos mostra que seus pés pisam na cabeça da serpente. Realizando a promessa de Deus no paraíso: (Gn 3, 15).

A imagem de Nossa Senhora Aparecida é dela como Imaculada Conceição. Está sempre gerando novos filhos. Milhões de peregrinos passam por Aparecida para visitar nossa Mãe em sua casa brasileira.

Só Deus conhece o que se passa em cada coração que visita sua Mãe. Além de graças de cura física, a incontável cura espiritual de tantos que chegam para venerar a santa imagem, e são acolhidos por sua rede amor misericordioso e voltam renovados para suas cidades e suas famílias.

Ali é o cenáculo da eucaristia, o Tabor onde ouvem Deus Pai: este é meu Filho querido, escutem-no. Ali é o monte Calvário das dores do Amor crucificado, sempre disposto a perdoar. É Pentecostes em que o Espírito de Jesus renova e fortalece a vida de cada um que confiante se aproxima humildemente para pedir voltar para a casa do Pai com a Mãe de Jesus.

Em João 2, 1-11,   Maria foi convidada para um casamento em Caná. Jesus também.  No meio da festa Maria disse a Jesus que o vinho estava acabando. Jesus não queria fazer nada. Mas como sua mãe pediu, mandou os serventes encher as talhas de água. Depois mandou entregar ao chefe de cerimônia que provou a água e  já era vinho. Foi o primeiro milagres de Jesus.

Jesus está sempre onde mais precisam dele. E Maria o acompanha.

Jesus quis ter uma família, para renovar o plano de Deus sobre a vida humana: não é bom que o homem esteja só(Gn 2.18). Quando imaginou o ser humano como sua imagem e capaz de ajuda-lo a acolher novos seres humanos na terra, os fez homem e mulher. Preparou-os para, recebendo o dom precioso e divino do amor, manifestassem a partilha desse mesmo amor com alguém que seria o ninho onde Deus faria surgir os novos seres humanos.

A família é uma pálida imagem do mistério da Santíssima  Trindade, onde o Amor, o Espírito Santo com o Pai gera eternamente o Filho.

E não é só imagem, é uma realidade muito rica que reflete e participa do mesmo Amor de Deus. Tudo em nossa vida tem origem no amor, como em Deus. Tudo só tem sentido se for envolvido pelo amor. E se mantem e se multiplica pela força do amor. É o dom mais precioso, o presente comprometedor que Deus confiou a cada um de nós.

Jesus sempre atende a quem pensa sempre nos outros. A quem está atento ao que cada um precisa, mesmo sem pedir.

A sensibilidade de Maria se manifesta na vida de nossa Igreja. Seu sofrimento ao pé da cruz tem a medida do amor misericordioso de Jesus.

Maria valoriza cada gota de sangue derramado na crucificação de seu Filho por todos nós. Por isso vem sempre em nosso socorro. Como uma mãe cuidando de seu bebê doente, coloca-lhe na boca  pequenas porções de alimento para curar sua doença e fortalece-lo, assim Maria nos ajuda trazendo em suas mãos maternais as gotas do sangue salvador de seu Filho para curar-nos de nossas fraquezas e fortalecer-nos para uma nova caminhada.