Liturgia diária › 15/11/2017

Ano A – 4ª-feira da 32ª Semana do TC – Evangelho – Lc 17,11-19

Liturgia da Horas
Ofício da 4ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Verde – Missa: Prefácio Tempo Comum.

Leituras do Dia

1ª Leitura do Livro da Sabedoria 6,1-11

1Escutai, ó reis, e compreendei.
Instrui-vos, governadores dos confins da terra!
2Prestai atenção, vós que dominais as multidões
e vos orgulhais do número de vossos súditos.
3Pois o poder vos foi dado pelo Senhor
e a soberania, pelo Altíssimo.
É ele quem examinará as vossas obras
e sondará as vossas intenções;
4apesar de estardes ao serviço do seu reino,
não julgastes com retidão, nem observastes a Lei,
nem procedestes conforme a vontade de Deus.
5Por isso, ele cairá de repente sobre vós, de modo terrível,
porque um julgamento implacável será feito sobre os poderosos.
6O pequeno pode ser perdoado por misericórdia,
mas os poderosos serão examinados com poder.
7O Senhor de todos não recuará diante de ninguém
nem se deixará impressionar pela grandeza,
porque o pequeno e o grande, foi ele quem os fez,
e a sua providência é a mesma para com todos;
8mas para os poderosos, o julgamento será severo.
9A vós, pois, governantes, dirigem-se as minhas palavras,
para que aprendais a Sabedoria e não venhais a tropeçar.
10Os que observam fielmente as coisas santas
serão justificados;
e os que as aprenderem
vão encontrar sua defesa.
11Portanto, desejai ardentemente minhas palavras,
amai-as e sereis instruídos.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 81 (82), 3-4. 6-7 (8a)

R. Levantai-vos, ó Senhor, julgai a terra!

3Fazei justiça aos indefesos e aos órfãos, *
ao pobre e ao humilde absolvei!
4Libertai o oprimido, o infeliz, *
da mão dos opressores arrancai-os!’R.

6Eu disse: ‘Ó juízes, vós sois deuses, *
sois filhos todos vós do Deus Altíssimo!
7E, contudo, como homens morrereis, *
caireis como qualquer dos poderosos!’R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 17,11-19

11Aconteceu que, caminhando para Jerusalém,
Jesus passava entre a Samaria e a Galiléia.
12Quando estava para entrar num povoado,
dez leprosos vieram ao seu encontro.
Pararam à distância,
13e gritaram: ‘Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!’
14Ao vê-los, Jesus disse:
‘Ide apresentar-vos aos sacerdotes.’
Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados.
15Um deles, ao perceber que estava curado,
voltou glorificando a Deus em alta voz;
16atirou-se aos pés de Jesus, com o rosto por terra,
e lhe agradeceu.
E este era um samaritano.
17Então Jesus lhe perguntou:
‘Não foram dez os curados?
E os outro nove, onde estão?
18Não houve quem voltasse para dar glória a Deus,
a não ser este estrangeiro?’
19E disse-lhe: ‘Levanta-te e vai! Tua fé te salvou.’
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

No livro da Sabedoria 6, 1-11, a toda autoridade é dito: o poder lhes foi dado pelo Senhor. Um dia Ele examinará o que fizeram e pedirá contas. O pequeno pode ser perdoado por misericórdia. Os  poderosos serão julgados com severidade. Os que respeitam as coisas santas vão encontrar defesa. Sigam minhas palavras e terão sabedoria.

De fato este livro sagrado é cheio orientações práticas para nossa vida humana e religiosa.

A organização social que a humanidade foi descobrindo e aplicando à vida das famílias, das cidades e dos países, tem seu início e é conclusão da necessidade que temos em nossa vivência social para que os trabalhos de cada um sejam participação para o bem de todos. Pois sozinhos podemos realizar muitas coisas, mas unindo nossas forças, o resultado é maior e melhor e satisfaz a todos.

Nesse sentido é que se diz que toda a autoridade vem de Deus. É lei da natureza viva: sempre se parte de um princípio que conduz todo o resto.

Da semente e depois de suas raízes depende toda a planta. Os rios e os mares dependem da fonte de água viva. O sol com sua luz e calor equilibra a vida dos seres vivos. Os esposos dão origem a novos seres humanos. A saúde depende do alimento e equilíbrio dos elementos necessários para manter os órgãos do corpo em funcionamento normal.

Há um provérbio que diz: cada cabeça, uma sentença. Casa onde todos mandam, acaba por ruir. É bom haver um coordenador, escolhido, eleito pelas pessoas e que orienta todos os trabalhos ouvindo a todos e tomando decisões  iguais e unidas, para se obter um bom resultado..

E Jesus chama-nos à atenção para o resultado de nossas ações pessoais e comunitárias. Responderemos aqui na terra e depois também diante de Deus por nossas responsabilidades.

Em Lucas 17, 11-19, dez leprosos pediram cura a Jesus que os mandou se apresentar aos sacerdotes. No caminho ficaram curados. Um que era samaritano voltou para agradecer louvando ( de joelhos) a Deus em altas vozes. Jesus perguntou pelos outros.

Em cada milagre de Jesus aprendemos novas lições. As observações de Jesus não são queixas por não lhe darem o valor que Ele merece. Deus não precisa de nosso agradecimento. Quem reconhece o favor que recebe, sabe valorizar o amor que se tem a ele.

A pessoa mal agradecida é egoísta e acha que todos é que devem favores. Quem não sabe dizer: obrigado, corta o elo da amizade dos outros.

Agradecer é um gesto de amor que se sente acolhido, respeitado, querido.

  1. Paulo nos diz que todos somos devedores ao amor. Isto quer dizer que este dom divino que Deus nos deu, só se realiza em seu sentido profundo quando procuramos sempre fazer o bem aos outros.

Agradecer é sinal de que a pessoa que nos fez algum bem manifestou sua atenção e dispôs do que tinha para dar o que precisávamos.

No caso dos leprosos Jesus nos chama à atenção: em nenhum momento sejamos indiferentes a qualquer gesto de bondade para conosco.

Há palavras em relação às pessoas que manifestam nossa reação interior e muitas vezes despertam, em nós sentimentos variados. E se isso, não só as palavras, mas os gestos, o próprio rosto, o olhar.

Os leprosos ao gritarem de longe que os curasse mostram fé viva,  espe-rança confiante embora com medo de que Jesus seguisse a lei que não permitia se aproximar de um leproso. E o mais estranho, Jesus fez diferente, mandou que buscassem o documento oficial de retorno à sociedade e à suas famílias… Mas eles ainda estavam leprosos… Como  Jesus mandou, obedeceram. Até aí foram firmes na fé. Pelo caminho se sentiram curados. A alegria de poderem rever suas famílias e conviver com as outras pessoas, fez com que 9 deles não voltassem para agradecer a Jesus.

É a sensação que temos diante do impossível e acontece sem explicação…  Como uma pessoa que conheci. Toda a vez que se livrava de algo difícil, quase impossível, dizia: dessa eu me livrei…

Esquecemos rápido o sofrimento, nem vemos o céu se abrir para nós.