Liturgia diária › 13/09/2017

Ano A – 4ª-feira da 23ª Semana do TC – Evangelho – Lc 6,20-26

Liturgia da Horas
Ofício da 3ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Verde – Missa: Prefácio Tempo Comum.

Leituras do Dia

1ª Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses 3,1-11

Irmãos:
1Se ressuscitastes com Cristo,
esforçai-vos por alcançar as coisas do alto,
onde está Cristo, sentado à direita de Deus;
2aspirai às coisas celestes
e não às coisas terrestres.
3Pois vós morrestes,
e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus.
4Quando Cristo, vossa vida, aparecer em seu triunfo,
então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória.
5Portanto, fazei morrer o que em vós pertence à terra:
imoralidade, impureza,
paixão, maus desejos
e a cobiça, que é idolatria.
6Tais coisas provocam a ira de Deus contra os que lhe resistem.
7Antigamente vós estáveis enredados por estas coisas
e vos deixastes dominar por elas.
8Agora, porém, abandonai tudo isso:
ira, irritação,
maldade, blasfêmia,
palavras indecentes, que saem dos vossos lábios.
9Não mintais uns aos outros.
Já vos despojastes do homem velho e da sua maneira de agir
10e vos revestistes do homem novo,
que se renova segundo a imagem do seu Criador,
em ordem ao conhecimento.
11Ai não se faz distinção entre grego e judeu,
circunciso e incircunciso,
inculto, selvagem, escravo e livre,
mas Cristo é tudo em todos.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 144 (145),2-3. 10-11. 12-13ab (R. 9a)

R. O Senhor é muito bom para com todos.

2Todos os dias haverei de bendizer-vos, *
hei de louvar o vosso nome para sempre.
3Grande é o Senhor e muito digno de louvores, *
e ninguém pode medir sua grandeza.R.

10Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,*
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
11Narrem a glória e o esplendor do vosso reino*
e saibam proclamar vosso poder!R.

12Para espalhar vossos prodígios entre os homens*
e o fulgor de vosso reino esplendoroso.
13aO vosso reino é um reino para sempre,*
13bvosso poder, de geraçóo em geração.R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 6,20-26

Naquele tempo:
20Jesus levantando os olhos para os seus discípulos, disse:
‘Bem-aventurados vós, os pobres,
porque vosso é o Reino de Deus!
21Bem-aventurados, vós que agora tendes fome,
porque sereis saciados!
Bem-aventurados vós, que agora chorais,
porque havereis de rir!
22Bem-aventurados, sereis quando os homens vos odiarem,
vos expulsarem, vos insultarem
e amaldiçoarem o vosso nome, por causa do Filho do Homem!
23Alegrai-vos, nesse dia, e exultai
pois será grande a vossa recompensa no céu;
porque era assim
que os antepassados deles tratavam os profetas.
24Mas, ai de vós, ricos,
porque já tendes vossa consolação!
25Ai de vós, que agora tendes fartura,
porque passareis fome!
Ai de vós, que agora rides,
porque tereis luto e lágrimas!
26Ai de vós quando todos vos elogiam!
Era assim que os antepassados deles
tratavam os falsos profetas.
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

Na carta aso Colossenses 3, 1-11, por força da presença e ação de Cristo Ressuscitado pois nossa vida está n´Ele, cabe a nós buscar os que nos eleva o espírito para junto dele. a coisas celestes e não as terrestres. Da vida que eles tinham antes de conhecerem o Cristo, devem se afastar de tudo o que não os aproxima de Deus. Agora  como homens novos, Cristo deve ser tudo em todos.

  1. Paulo, manifesta–se feliz por sentir que a comunidade caminha bem e está buscando seguir o que aprendeu dele sobre Jesus e seus ensinamentos, suas orientações para uma vida melhor. Mas como conhece o coração humano, ele lembra que tipo de costumes tinham antes. Isso não para humilhá-los mas para que cada um saiba cuidar-se pois embora já tenham se afastado destes caminhos, precisam sempre estar atentos para perseverar em suas novas decisões.

E o que pode garantir que sejam fiéis a seus compromissos de cristãos é que Cristo que nos resgatou de todo o mal, está sempre presente ajudando-nos com sua luz divina, sua graça a superar todo o mal, todo pecado.

O que o apóstolo recomenda aos cristãos de Colossas podemos aplicar à nossa própria vida. E mais não só seguir o que nossa religião nos propõe, mas lutando para que nossas escolhas erradas anteriores não retornem. Cada dia neste mundo em que vivemos a solicitação para uma vida que não agrada a Deus é bastante insistente. De modo especial pelos meios da comunicação social e da própria vida social que deixa Deus de lado e procura outros deuses que satisfaçam nossas vontades.

  1. Paulo chama os que se voltaram para Cristo de homens novos.

Ao menos diante de Deus e dos irmãos. Mas continuamos a ser muito humanos, por isso devemos fortalecer-nos com uma vida espiritual que coloque sempre Cristo como modelo e como força para perseveramos.

Nossa Igreja nos proporciona muitos meios para alimentar nossa vida religiosa, participemos pois do que nos solicita. Mas pessoalmente também, temos de nos fortalecer com orações, sacramentos, a Palavra de Deus, e o exercício constante da caridade que nos leva a conviver com todos como irmãos e a ser alguém em quem todos possam contar para caminhar junto na alegria do serviço do reino de Deus.

Em Lucas 6, 20-26, Jesus declara felizes (bem-aventurados) os pobres, os que passam fome, os discípulos quando sofrerem por seguirem Jesus. Terão a recompensa nos céus. Pois assim também aconteceu com os profetas. E aos ricos se agora são consolados com sua fartura, vão passar fome. Quem ri vai chorar. Cuidado com os bajuladores.

Este trecho de s. Lucas corresponde ao de Mateus c. 5. É chamado o Sermão da Montanha, das bem-aventuranças, isto é, o caminho que nos leva à verdadeira felicidade já neste mundo e mais ainda no outro.

Em Mateus mais claro, os pobres são todos os desapegados dos bens deste mundo, sejam de que condições sociais forem.

Esta pobreza vem de dentro de nós, por isso é dito: pobres de coração, de espírito. Os que não se fiam no que tem mas no que são de fato diante de Deus e de todos. Acreditando que os bens verdadeiros são a vida, vida simples que não os isole dos outros. Vida que ajude a todos a sentirem-se irmãos. Vida que tem Deus como o grande e fiel amigo, mestre e guia em todos os momentos. Estes pertencem ao reino dos céus, de Deus já na terra.

Já os ricos, os que são só pelos bens materiais que possuem, vão ter a resposta aqui mesmo. Pois este apego os afasta dos outros, para se preservar, para não perder nada, não dividir com ninguém. Quando sozinhos com nossa riqueza não queremos conviver com ninguém, somos os mais pobres que todos. Quem não tem amigos nem é amigo de si mesmo, na vida normal e muito menos  quando por doença ou outros problemas vão curtir sozinho a sua desgraça.

Felicidade de quem passa fome parece uma contradição. Lembro-me de um dia estar à mesa com o santo bispo d. Helder Câmara. Era muito franzino e magro. Comia quase nada. Sentava-se à mesa para poder estar com as pessoas. O seu alimento era outro. Seus olhos brilhavam quando podia falar dos pobres e humildes por quem tinha um grande amor, e amor prático, de realizar muita coisa para o bem deles.

Passar fome se queixando aumenta a fome. Passar fome para dar alimento a outros leva o pão de Deus, de sua palavra e o pão material que tem outro sabor. Pois posso passar diante de um pobre e dar-lhe um prato de comida. Sacio sua fome material. Mas se lhe dirijo uma palavra sincera de amigo e irmão, estarei alimentando muito mais. Pois a alegria de viver, de ter pessoas que nos respeitem e nos amem, vale mais que tudo.