Liturgia diária › 13/11/2017

Ano A – 2ª-feira da 32ª Semana do TC – Evangelho – Lc 17,1-6

Liturgia da Horas
Ofício da 4ª semana – Tempo Comum.
Laudes (Manhã); Hora Sexta (Meio dia); Vésperas (tarde) e Completas (noite)

Liturgia da Missa
Cor: Verde – Missa: Prefácio Tempo Comum.

Leituras do Dia

1ª Leitura Início do Livro da Sabedoria 1,1-7

1Amai a justiça, vós que governais a terra;
tende bons sentimentos para com o Senhor
e procurai-o com simplicidade de coração.
2Ele se deixa encontrar pelos que não exigem provas,
e se manifesta aos que nele confiam.
3Pois os pensamentos perversos afastam de Deus;
e seu poder, posto à prova, confunde os insensatos.
4A Sabedoria não entra numa alma que trama o mal
nem mora num corpo sujeito ao pecado.
5O espírito santo, que a ensina, foge da astúcia,
afasta-se dos pensamentos insensatos
e retrai-se quando sobrevém a injustiça.
6Com efeito, a Sabedoria é o espírito que ama os homens,
mas não deixa sem castigo
quem blasfema com seus próprios lábios,
pois Deus é testemunha dos seus pensamentos,
investiga seu coração segundo a verdade
e mantém-se à escuta da sua língua;
7porque o espírito do Senhor enche toda a terra,
mantém unidas todas as coisas
e tem conhecimento de tudo o que se diz.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 138 (139),1-3. 4-6. 7-8. 9-10 (R. 24b)

R. Conduzí-me no caminho para a vida, ó Senhor!

1Senhor, vós me sondais e conheceis, *
2sabeis quando me sento ou me levanto;
de longe penetrais meus pensamentos, +
3percebeis quando me deito e quando eu ando, *
os meus caminhos vos são todos conhecidos.R.

4A palavra nem chegou à minha língua, *
e já, Senhor, a conheceis inteiramente.
5Por detrás e pela frente me envolveis; *
pusestes sobre mim a vossa mão.
6Esta Verdade é por demais maravilhosa, *
é tão sublime que não posso compreendê-la.R.

7Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? *
E para onde fugirei de vossa face?
8Se eu subir até os céus, ali estais; *
se eu descer até o abismo, estais presente.R.

9Se a aurora me emprestar as suas asas, *
para eu voar e habitar no fim dos mares;
10mesmo lá vai me guiar a vossa mão *
e segurar-me com firmeza a vossa destra.R. 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,1-6

Naquele tempo:
1Jesus disse a seus discípulos:
‘É inevitável que aconteçam escândalos.
Mas ai daquele que produz escândalos!
2Seria melhor para ele
que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço
e o jogassem no mar,
do que escandalizar um desses pequeninos.
3Prestai atenção:
se o teu irmão pecar, repreende-o.
Se ele se converter, perdoa-lhe.
4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia,
e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’,
tu deves perdoá-lo.’
5Os apóstolos disseram ao Senhor:
‘Aumenta a nossa fé!’
6O Senhor respondeu:
‘Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda,
poderíeis dizer a esta amoreira:
‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’,
e ela vos obedeceria.
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher

O livro da Sabedoria 1, 1-7, inicia mostrando o que é sabedoria: procurar o Senhor com simplicidade, afasta-se dos pensamentos injustos. Ama a todos mas sabe onde está a verdade. Envolve toda a terra pois conhece tudo o que se diz.

A sabedoria é uma qualidade que sem se prender a nenhum empecilho que lhe dê insegurança, é quase como uma luz que ilumina a todos igualmente, vendo a cada um como é, aceitando as diferenças como participação valiosa para a harmonia do todo e de todos.

A qualidade fundamental de Deus é a simplicidade: tudo nele é claro, tão iluminado que tudo o que toca se transforma em luz, beleza alegria, paz.

Por isso quanto mais nossa mente e coração forem simples, abertos, acolhedores, confiantes, sem discriminar ninguém, mais Deus nos envolve com seu amor.

A sabedoria não é bem a forma de pensar, julgar, comparar, conhecer. De novo é como a luz, o calor, o ar que encontrando a quem iluminar, a quem aquecer, e favorecer o respirar, cria um clima de felicidade.

Em geral o caminho mais lógico para conhecer as pessoas é ouvi-las, conviver com elas, trocar de ideias, trabalhar junto, enfrentar os  mesmos problemas. E isso leva tempo, pede mudanças.

E é essa condição comum de todas as pessoas na vida na terra.

Mas cada pessoa deve trabalhar a vida inteira buscando a transformação que a verdadeira sabedoria é capaz de realizar.

Nesta nossa vida na terra este é o caminho comum que todas as pessoas devem buscar com a graça de Deus para que conquiste a verdadeira sabedoria que nos leva à felicidade.

Em Lucas 17,1-6,  Jesus não aprova quem escandaliza os pequenos. Ajude a corrigir os erros de teu irmão. Os apóstolos pedem: aumenta nossa fé. Jesus diz que com ela poderiam transplantar uma amoreira para o mar.

Quem erra deve ser-lhe dado a chance de se corrigir. Se for só uma falta pessoal, o caminho de volta é mais fácil. Se levamos outros a erros, além de nossa responsabilidade pessoal, temos ainda um compromisso social de reparação e às vezes de compensação.

Nossos erros que levam outros a seguirem o mesmo caminho, varia de responsabilidade conforme a pessoa a quem prejudicamos. Uma criança ou pessoa simples sem capacidade de julgar, quando a levamos ao erro, como pode ser irreversível ou de prejuízo muito forte, além da possibilidade de retorno, ficamos com uma dívida moral grande.

Temos dificuldade de aceitar nossos erros. E mais ainda quando alguém nos corrige, pois fere nosso orgulho. Fica  parecendo humilhação que não aceitamos.

Certos erros fazem mais mal a quem  os comete que às pessoas a quem prejudica. Incomoda a própria consciência que não dá sossego a quem prejudicou a alguém.

Pode parecer fora de contexto o pedido dos apóstolos: Senhor, aumenta nossa fé. Pensando bem: Deus nos criou com muitas qualidades. Nós não temos facilidade de guia-las  pelos melhores caminhos. Se temos fé, acreditamos em seu amor por nós e em seu interesse que busquemos sempre o bem. Por isso a fé é uma força espiritual capaz de nos ajudar a ter um domínio mais completo das qualidades e de seu uso diante das continuas solicitações de prazer que a vida nos oferece e que podem conduzir-nos só para satisfazer nossa sensibilidade e sensualidade.

A fé pois deve ser pedida, cultivada, fortalecida para todos os momentos de nossa vida.