Liturgia diária › 14/12/2019

Ano A (Par) – Sábado da 2ª Semana do Advento – Evangelho – Mt 17,10-13

Ofício da memória. Missa pr.: Pf do Advento I ou dos Pastores.

Liturgia das Horas
Laudes (manhã) – Vésperas (tarde) – Completas (Noite)

Leituras

1ª Leitura – Eclo 48,1-4.9-11

Naqueles dias:
1O profeta Elias surgiu como um fogo,
e sua palavra queimava como uma tocha.
2Fez vir a fome sobre eles
e, no seu zelo, reduziu-os a pouca gente.
3Pela palavra do Senhor fechou o céu
e de lá fez cair fogo por três vezes.
4Ó Elias, como te tornaste glorioso por teus prodígios!
Quem poderia gloriar-se de ser semelhante a ti?
9Tu foste arrebatado num turbilhão de fogo,
num carro de cavalos também de fogo,
10tu, nas ameaças para os tempos futuros,
foste designado para acalmar a ira do Senhor antes do furor,
para reconduzir o coração do pai ao filho,
e restabelecer as tribos de Jacó.
11Felizes os que te viram,
e os que adormeceram na tua amizade!
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 79 (80), 2ac.3b. 15-16. 18-19 (R.4)

R. Convertei-nos, ó Senhor,
resplandecei a vossa face e nós seremos salvos!

2aÓ Pastor de Israel, prestai ouvidos.*
2cVós que sobre os querubins vos assentais.
3bDespertai vosso poder, ó nosso Deus*
e vinde logo nos trazer a salvação!R.

15Voltai-vos para nós, Deus do universo!+
Olhai dos altos céus e observai.*
Visitai a vossa vinha e protegei-a!
16Foi a vossa mão direita que a plantou;*
protegei-a, e ao rebento que firmastes!R.

18Pousai a mão por sobre o vosso Protegido,*
o filho do homem que escolhestes para vós!
19E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus!*
Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 17,10-13

Ao descerem do monte,
10os discípulos perguntaram a Jesus:
‘Por que os mestres da Lei dizem
que Elias deve vir primeiro?’
11Jesus respondeu:
‘Elias vem e colocará tudo em ordem.
12Ora, eu vos digo: Elias já veio,
mas eles não o reconheceram.
Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram.
Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles.’
13Então os discípulos compreenderam
que Jesus lhes falava de João Batista.
Palavra da Salvação.

Comentário Monsenhor Paulo Daher (1931/2019)

No livro do Eclesiástico, 48, 1-4.9-11, o autor comenta que o profeta Elias surgiu como fogo e sua palavra  queimava como uma tocha. Foi glorioso por seus prodígios. Em nome de Deus orientava o povo por caminhos mais certos.

A lembrança do profeta Elias para o povo judeu era muito forte. Contava-se muito sobre ele, lembrados  de suas ações que encontramos no 1ª e 2ª livro dos Reis. Combateu com veemência e com milagres o culto pagão a Baal. Fatos memoráveis de sua vida:  com a viúva de Sarepta, desafio contra Baal, no  Monte Horeb, a vinha de Nabot, seu arrebatamento aos céus.

Jesus comparou J. Batista ao profeta Elias por sua palavra firme, direta e anunciadora da chegada do Salvador.

Na Igreja de Cristo além do trabalho comum, perseverante de evangelização em todos os povos, conhecemos muitos santos que iluminados por Deus e movidos por seu ardor apostólico iniciaram comunidades fervorosas em muitos lugares do mundo.

Muitíssimas cidades da Europa, da África, da América, da Ásia, iniciaram sua vida cristã por meio de ardorosos missionários, muitos deles mártires por causa de sua fé.

Ainda hoje em nossas cidades do Brasil e de nossa diocese há tantos apóstolos sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas, leigos que se dedicam com ardor e amor à ação apostólica nas pastorais para todas as idades e situações.

E você, também, não poderá ficar de fora, assistindo, aplaudindo e ficando depois de braços cruzados. Cuidado com a paralisia cristã, de quem recebe muito e em troca não distribui para os outros.

Ninguém em nenhuma situação está livre ou dispensado de fazer alguma ação para manifestar a presença de Cristo junto às pessoas.

Você é que sabe o que, quando e como ser a voz de Cristo para as outras pessoas.

Em Mateus, 17, 10-13, os discípulos perguntam se o profeta Elias deve vir.  Cristo diz que já veio. E não o reconheceram e fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem vai ser maltratado. Os discípulos entenderam, que falara de João Batista.

Era a crença, como Elias foi arrebatado aos céus. Dizia-se que ele haveria de voltar um dia. Em várias ocasiões na Bíblia, Elias aparece como profeta extraordinário, representante de todos os profetas por sua luta contra os falsos deuses e anunciadores da mensagem de Deus para o povo.

Jesus relembra o profeta e compara com o Batista, pelo ardor em sua missão. E já anuncia que vai acontecer a mesma coisa com Ele.

Nossa Igreja nos apresenta um número muito grande de apóstolos de todas as idades, os santos,  que deram o mesmo exemplo de trabalho apostólico. Por sua vida, sua ação e sua ligação com Cristo e com os necessitados de todos os tipos.

Como os apóstolos conversavam com simplicidade com Jesus, falando o que pensavam, nós também devemos fazer a mesma coisa.  Uma comparação: Jesus nos ama muito e se sente bem de estar conosco. Mas às vezes Ele fica esperando para conversar conosco e espera, espera…E estamos tão ocupados que esquecemos deste nosso divino Amigo, cujas palavras sempre trazem muita alegria e paz.

Jesus não se incomodava com as perguntas que as pessoas faziam. Era sinal que se interessavam com o que ele dizia e confiavam nele.

Já assisti palestras de pessoas inteligentes e preparadas que cansavam os ouvintes. Outros empolgavam a plateia. Hoje há pessoas que gostam mais de fala agitada e não comunicam muita coisa útil.

O noticiário da televisão, está se tornando uma lista corrida de desgraças, de fatos, sem interrupção. Não interessa o ser humano. Basta saber do que está acontecendo, sem nenhuma consequência. Estar em dia com o que acontece no mundo é o que interessa. Se dói, se se sofre, se eu posso fazer alguma coisa, não interessa. Basta ter todo o dia este panorama de como o mundo está indo, sem precisar de fazer nada. Ouviu, Basta!

Quando Jesus vai fazer mesmo parte de minha vida?