Lectio Divina – 29º Domingo – Ano B

Marcos 10, 35-45
Naquele tempo, Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram:
Mestre queremos que faças por nós o que vamos pedir. Ele perguntou: O que querem
que eu lhes faça? Eles responderam; Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua
esquerda, quando estiveres na tua glória! Jesus lhes disse: Vocês não sabem o que
estão pedindo. Por acaso podem beber o cálice que eu vou beber? Podem ser batizados
com o batismo com que vou ser batizado? Eles responderam: Podemos! E ele lhes disse:
Vocês beberão do cálice que eu devo beber, e serão batizados com o batismo com que
eu devo ser batizado. Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à
minha esquerda. É para aqueles a quem foi reservado. Quando os outros dez discípulos
ouviram isso, indignaram-se com Tiago e João. Jesus os chamou e disse: Vocês sabem
que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. Mas, entre vocês, não
deve ser assim; quem quiser ser grande, seja o servo dos outros; e quem quiser ser o
primeiro, seja o escravo de todos. Porque o Filho do Homem não veio para ser servido,
mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos.

1. Leitura
Dois apóstolos, Tiago e João, irmãos, filhos de Zebedeu, pediam a Jesus para
ocuparem um lugar de destaque um à direita outro à esquerda, quando Jesus tivesse todo
o poder, como Messias, ou Rei. Em Mateus 20, 20, se diz que a mãe deles é que veio
pedir isto! Jesus antes de lhes responder coloca-lhes outra pergunta: se eles poderiam
beber o cálice que ele iria beber e se eles queriam ser batizados como Ele. Eles sem
entenderem bem o que seria, logo responderam que sim! O cálice seria o sofrimento, e o
batismo seria sua morte na cruz. O que queriam era ter um poder sobre os outros! A
resposta de Jesus também não foi direta. Diz que cabe a seu Pai designar algo sobre a
vida deles! Mas os outros apóstolos não gostaram do pedido e se aborreceram… Jesus
aproveita para lhes dar uma lição, de como eles deveriam ser e agir em seu reino: quem
percebe que tem mais qualidades deve servir aos outros. E afirma que é assim que Ele
mesmo veio fazer!
Que apóstolos vieram pedir algo a Jesus em seu Reino? Qual foi este pedido?
Que respondeu Jesus? E o que entendia por beber o cálice e batismo?
Quem é que cumpriria este desejo deles?
Qual foi a reação dos outros apóstolos? E o que disse Jesus a todos então?
Que é que Jesus afirma ser a sua missão no trabalho com as pessoas?

2 – MEDITAÇÃO
Quando rezamos, nossas orações são mais de pedidos. E nem sempre estes
pedidos são corretos. Pedimos (Tg 4,2) sem saber se de fato queremos o melhor!
Aproveitemos estes momentos para nos colocar no meio dos apóstolos que seguiam
Jesus. Jesus aproveitava sempre para ensinar algo mais aos apóstolos sobre como viver
melhor… Pensemos: o que é que de fato precisamos em nossa vida: em nossa família, no
trabalho, na comunidade… O que em nossa maneira de ser e de viver é procura de quê?
O que queremos é de fato um bem mesmo para nós e para quem convive conosco? O
que é que precisamos mais em nossa vida religiosa?

3 – ORAÇÃO
Senhor, preciso rezar mais… Como tem sido minhas orações? Que intenção tenho
ao orar? De que virtudes tenho necessidade? (humildade, servir aos outros, alegria em
ouvir alguém para me colocar à sua disposição, ter mais tempo para estar com minha
família, procurar conhecer mais quem é Jesus, quem é Nossa Senhora, que é o Reino de
Jesus?).
O Senhor é minha luz e minha salvação… É Ele quem me dá força… Uma só
coisa peço ao Senhor: morar na casa do Senhor, procurar a presença de meu Deus todos
os dias de minha vida, para contemplar a beleza e a bondade do Senhor… Senhor, não
escondas de mim Tua face… Mostra-me o teu caminho… Tenho certeza: eu verei todo o
bem que vem de Ti, Senhor… Quero repetir: Espera no Senhor! Sê forte, tem coragem!
Espera sempre no Senhor!(Sl 26/27)

4 – CONTEMPLAÇÃO
Jesus aproveitava todos os momentos de sua vida e convivência com os apóstolos
para orientar a vida deles… Por minha fé, confiando na presença amorosa de Jesus,
desejo que neste momento, o Espírito de Jesus me ensine a enxergar em minha vida
pessoal, na vida de cada pessoa de minha família o que mais preciso: fazer bem o que
tenho a fazer, com alegria e ser ocasião para que Jesus se comunique com os outros…
Minhas orações, minha missa: são momentos preciosos em que devo me entregar
confiante nas mãos do Senhor, ouvir o que ele quer me dizer agora, e o que devo dizer
de coração a Ele.

5 – AÇÃO
Em minha vida pessoal vou determinar tempo e hora para fazer com calma
minhas orações… Conversar mesmo com Jesus sobre minha vida. Pedir para que
Ele esteja sempre a meu lado. Quero ouvi-lo e atender ao que me pede.
Vou ver que posso fazer pelas e para as pessoas que convivem comigo, no meu
edifício, meus vizinhos. Pensar como fazer-lhes uma surpresa de me preocupar
com eles, de lhes dar o que esperariam de mim e ainda não fiz.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.