Infância Missionária: enviados para renovar o mundo

Neste dia de Reis, a Igreja celebra o Dia Mundial da Infância Missionária, carisma e lema: “As crianças ajudam as crianças”. Recordando o slogan: “Uma Ave-Maria por dia, um tostão por mês”.

Cidade do Vaticano

A Igreja celebra no dia 6 de janeiro a Solenidade da Epifania do Senhor, a manifestação do Menino Deus ao mundo, com a adoração dos Reis Magos, conhecida também como Dia de Reis.

Nesta data, celebra-se também o Dia Mundial da Infância Missionária, que este ano tem como tema “Enviados para renovar o mundo”.

Origens

Em meados do século XIX, um bispo francês, Dom Charles de Forbin-Janson, ficou impressionado com as notícias que chegavam da China, sobre as crianças que morriam sem receber o Batismo. Para remediar esta situação, pediu conselho a Pauline Jaricot, fundadora da Pontifícia Obra da Propagação da Fé. O intercâmbio de ideias levou a um sério compromisso das crianças da França, que, através da oração e de uma contribuição material, pudessem ajudar seus coetâneos chineses. Assim, nasceu o slogan: “Uma Ave-Maria por dia, um tostão por mês”.

Com esta iniciativa, em 1843, a semente lançada deu origem à Obra da Infância Missionária, com o lema: “As crianças ajudam as crianças”, que resumia o carisma da Obra.

Esta ideia revolucionária, na época, em que as crianças se tornavam protagonistas na vida da Igreja, alastrou-se em muitas nações do mundo. De fato, em 3 de maio de 1922, ciente desta grande contribuição da Obra para com as missões, o Papa Pio XI a reconheceu como “Pontifícia”. Depois, em 4 de dezembro de 1950, o Papa Pio XII instituiu oficialmente o Dia Mundial da Santa Infância, a ser celebrado no dia da Solenidade da Epifania. Hoje, a Pontifícia Obra da Santa Infância ou Infância Missionária atua em mais de 150 países.

 

Objetivo da Obra

As principais finalidades da Obra da Infância Missionária, entre outras, são: ir ao encontro das necessidades espirituais e materiais de todas as crianças, para que possam viver dignamente como verdadeiros filhos de Deus; sensibilizar as crianças para as necessidades do próximo, ensinando-lhes o valor e a força da solidariedade e da ajuda recíproca; fazer germinar nas crianças um verdadeiro espírito missionário.

Concretamente, as crianças e adolescentes missionários contribuem com a “oração”: as crianças da Infância Missionária rezam todos os dias pelas necessidades de outras crianças e a propagação da mensagem evangélica.

Durante o ano, as crianças fazem uma “coleta”, fruto do seu sacrifício, em prol de um futuro melhor das crianças no mundo. Graças a esta contribuição, inúmeras crianças saciam sua fome, estudam, se abrigam sob um teto, recebem assistência sanitária e, acima de tudo, podem conhecer Jesus e sua mensagem de amor.

Desta forma, a Infância Missionária, através das famílias, educadores e coordenadores, se torna exemplo de vida, levando à formação de outros pequenos missionários sob os valores do amor, da solidariedade e da partilha.

Fonte: VaticanNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *