Diocese, Notícias › 11/03/2019

Dom Gregório Paixão toma posse na Academia Petropolitana de Letras

A Academia Petropolitana de Letras (APL) promoveu, no dia 9 de março de 2019, uma solenidade, na Casa de Cultura Claudio de Souza, para posse de Dom Gregório Paixão, OSB, na cadeira número 30, que tem como patrono Dom Agostinho Benassy. “Agradeço a homenagem e a todos os petropolitanos por terem me acolhido e espero nunca parar de sonhar o sonho petropolitano”, afirmou Dom Gregório Paixão, Bispo de Petrópolis, ao concluir seu discurso de posse na Academia.

A solenidade foi presidida pelo presidente da Academia, o escritor Gerson Valle, que dividiu a mesa com o secretário da APL, Cleber Francisco Alves, com Ivone Alves Sol e Luiz Carlos Gomes. Gerson Valle agradeceu a presença de todos e ressaltou a importância da posse do Bispo de Petrópolis na academia.

Luiz Carlos Gomes fez uma breve apresentação do currículo de Dom Gregório Paixão, destacando entre as obras publicadas por ele, uma sobre a Catedral São Pedro de Alcântara, que em sua opinião preencheu uma lacuna existente. A posse de Dom Gregório Paixão na APL contou com a presença de amigos do bispo e do Vigário Geral da Diocese, Monsenhor Paulo Daher.

Em seu discurso de posse, Dom Gregório Paixão surpreendeu a todos ao falar de sua história, um livro como destacou “que escrevi mais que nunca foi publicado”. Na verdade foi um relato sobre sua trajetória e sua origem, destacando a importância que seus pais, professores, formadores na Ordem de São Bento e amigos ao longo de sua vida tiveram na sua formação, como pessoa e como religioso.

O Bispo falou dos momentos de dificuldades, das vezes em que lhe foi imposta uma derrota, mais que as superou por nunca aceita-las e superando algumas perspectivas negativas conseguiu terminar o ensino médio e entrar para faculdade sendo aprovado para duas universidades. Dom Gregório Paixão ressaltou ainda que em nenhum momento senti orgulho das dificuldades que passou, mesmo tendo consciência da importância delas na sua formação, frisando que “não sinto orgulho, pois ninguém nasceu para passar fome, ser excluído ou sofrer preconceito”.

Ao final, antes de concluir seu discurso, Dom Gregório Paixão falou sobre o patrono da cadeira que passa a ocupar na Academia Petropolitana de Letras, Dom Agostinho Benassy. Ele lembrou que Dom Benassy é patrono, pois ficou conhecido como o amigo da imprensa petropolitana. Ele também falou de Dom Filippo Santoro, lembrando que foi aluno dele no curso de Teologia e de sua alegria por ter o sucedido na Diocese de Petrópolis, destacando que “Dom Filippo é um irmão querido e um amigo desta Diocese”.

2 Comentários para “Dom Gregório Paixão toma posse na Academia Petropolitana de Letras”

  1. Marízia Costa carmo Lippi disse:

    Não soube da posse de dom Gregório, teria muita alegria em estar presente. Dom Gregório Paixão é meu quinto bispo, o primeiro Dom Cintra, beijei seu anel aos oito anos de idade. Sou muito grata a todos, e Dom Gregório é uma pessoa muitíssimo bem dotada e de uma afabilidade admirável, tenho por ele muito amor filial. Desejo-lhe muita saúde física, psíquica, mental, moral, emocional, espiritual… Com Respeito e Carinho, Marízia Costa }Crmo Lippi.

  2. Fernando Antônio de Souza da costa disse:

    Dom Gregório Paixão na A.P.L.!
    Fernando Costa – Membro Titulara da APL e do IHP
    Petrópolis se alegra em cânticos e aplausos ao querido Pastor em Cristo, Dom Gregório Paixão, Revmo. Bispo Diocesano ao ensejo da posse de Sua Excelência ao Quadro Titular da nonagenária Academia Petropolitana de Letras (da qual é Membro Honorário) cerimônia que ocorreu em sua sede acadêmica à Praça da Liberdade, 247, nesta cidade às 17h, sábado, dia 9 de março do ano em curso quando o novo titular tomou assento na Cadeira nº. 30, patronímica de Dom Agostinho Benassy em substituição a Dom Filippo Santoro que solicitou sua transferência ao quadro de membros eméritos. Foi conduzido ao plenário pelos Acadêmicos Paulo Cesar dos Santos, por mim, Fernando Costa e Luiz Carlos Gomes em sessão solene presidia pelo presidente Acadêmico Gerson Valle fazendo parte da mesa inclusive Dom Gregório Paixão, Luiz Carlos Gomes que saudou o novo empossando com bela alocução e ainda o Secretário Cleber Francisco Alves e a Relações Públicas Ivone Sol.
    Dom Gregório Paixão é Associado Titular do Instituto Histórico de Petrópolis, Cadeira nº. 7, patronímica de Bartholomeo Pereira Sodré, onde tomou posse em 20 de outubro de 2014.
    Em 16 de dezembro de 2018 completou o sexto aniversário frente à Circunscrição Eclesiástica de Petrópolis. Inesquecível a Celebração Litúrgica que marcou a posse. A Catedral repleta. Recebemos uma personalidade ornada de elevados méritos e notável saber. O momento da alocução de Sua Excelência foi o suficiente para conquistar o seu rebanho. Há palavras de carinho e generosidade. As Homilias são enriquecedoras. Segue os passos de Cristo através de histórias geralmente ao final nos lembrando das Parábolas de Cristo. Ele veio pregar o verdadeiro amor a seu povo. O carisma, a simpatia, a eloquência e o vernáculo a todos encantaram. Sua bibliografia é rica e incontáveis são os artigos produzidos para a imprensa nacional e estrangeira. Ele escuta o seu rebanho e o conduz a caminho seguro. É uma criatura predestinada. Um Homem de Deus ungido pelo Espírito Santo. Dom Gregório vê o semelhante com os olhos do coração. Ele conduz com sabedoria a Barca de Pedro e nos anima a que mergulhemos em águas profundas. Natural de Sergipe, nascido em 3 de novembro de 1964, filho do casal Josefa Bernadete Paixão Gregório e José Gregório. Família de quatro irmãos sendo um deles monge beneditino. Exerceu quase todos os ofícios monásticos.
    Possui 20 livros (um sobre nossa Catedral) publicados e artigos em revistas nacionais e estrangeiras. No dia 7 de julho de 2006 o Papa Bento XVI nomeou Dom Gregório para a função de Bispo Auxiliar de Salvador, com a sede titular de Ficus. No dia 29 de julho de 2006 recebeu a ordenação episcopal pelas mãos do Arcebispo de Salvador, D. Geraldo Majella, D. João Carlos Petrini e D. Josafá Menezes da Silva. Dentre os bispos auxiliares, D. Gregório foi um dos mais populares, tendo grande aceitação entre os fiéis católicos de Salvador. É um homem de sólida cultura e de semblante sorridente. Possui grande penetração em todos os movimentos da Igreja de Cristo. No dia 10 de outubro de 2012 o Papa Bento XVI o nomeou Bispo da Diocese de Petrópolis. Dom Gregório sempre afirma que ganhou um grande presente de Deus: ser Bispo da Diocese de Petrópolis! O Brasão Eclesial de Dom Gregório contem o seguinte enunciado: “É preciso preparar o caminho para o Senhor”. Desde seu primeiro ano de episcopado Dom Gregório mantém encontros e diálogo com todo o clero sacerdotes, religiosos, religiosas e Pastorais em clima fraterno e cordial. Percorre todas as paróquias da Diocese.
    Recebeu o Título de Cidadão Petropolitano e a maior Comenda de Petrópolis, a Medalha Koeler em dois graus. O Sacerdócio é uma Missão Divina, que aliado à vida Pastoral e contemplativa dos mosteiros e catedrais é revestido de grande responsabilidade. Ele é servidor de uma causa sublime, no zelo e cuidado da Igreja de Cristo, constituindo-se “depositário e administrador dos mistérios de Deus.” Além do amor e da caridade foi ungido pelo Espírito Santo Paráclito. Perdoa os nossos pecados e renova a presença do Deus Vivo em nossos corações: é o Mistério Pascal transubstanciado na Sagrada Eucaristia. Ele nos ama como pai, irmão, amigo, nos alveja com o dulçor da misericórdia e renova a nossa fé. Obrigado Dom Gregório pelos exemplos e por ser um manancial de bênçãos. Parabéns Dom Gregório Paixão e viva a gloriosa Academia Petropolitana de Letras cujo lema é “Si Vis Vincere, Ale Primum Vere!”
    Muito prestigiada a cerimônia em ambiente onde a celebridades literárias, culturais e representativas foram homenagear e reverenciar dom Gregório querido por todos.
    Parabéns.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.