Diocese, Notícias › 12/11/2018

Dom Gilson Andrade fala sobre a missão

10 11 2018 Assembleia Diocesana

Clique na imagem e veja outras fotos

Com o lema “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5) e com o tema central a Missão, aconteceu no dia 10 de novembro de 2018, a Assembleia Diocesana, reunindo mais de mil pessoas na Paróquia Santo Antônio, Paquequer, em Teresópolis, Decanato Santa Teresa. Os trabalhos foram iniciados com a entrada da Capela Nossa Senhora do Amor Divino, com o Bispo Diocesano, Dom Gregório Paixão (OSB) conduzindo a oração inicial.

A palestra principal da Assembleia, com orientações e reflexão sobre a importância do trabalho missionário, a missão no Pontificado do Papa Francisco, assim como uma apresentação histórica do Plano Pastoral da Diocese, foram apresentados pelo Bispo Coadjutor de Nova Iguaçu, Dom Gilson Andrade da Silva. Ele ainda falou sobre o Sínodo dos Bispos, que aconteceu de 3 a 38 de outubro, no Vaticano, apresentando os pontos principais do documento final. (Baixe a palestra de Dom Gilson em PDF ou em PowerPoint)

Sobre o Plano Pastoral da Diocese, Dom Gilson Andrade lembrou que nos primeiros anos se buscou algo bem prático, apresentando numa pequena folha tudo que era preciso realizar ao longo do ano. De acordo com ele, durante sua passagem pela Arquidiocese de São Salvador, como Bispo Auxiliar, nos encontros de formação sobre plano pastoral, as pessoas falavam da necessidade de ser algo prático, não mais documentos imensos, mais algo que indicava o que fazer e como fazer.

Outra característica apresentada por Dom Gilson dos primeiros anos do plano pastoral, iniciado por Dom Filippo Santoro, quando Bispo de Petrópolis, foi à escuta. Ele fez uma relação com as palavras do Papa Francisco que tem insistido em ouvir, frisando que o Sínodo dos Jovens foi justamente isto “uma escuta e se falava muito da necessidade de escutar os jovens”.

Durante sua palestra, Dom Gilson Andrade insistiu para que cada participante da Assembleia Diocesana saísse do encontro, voltasse para sua realidade refletindo sobre o que mudar e como pode fazer a diferença. Ele contou que “no final do Sínodo, o Papa lembrou a todos os participantes que o mais importante não era o documento final, o mais importante era o que o Sínodo fez em vocês que estão aqui. Os Apóstolos não tinham o documento final, mas tinham uma experiência. E a partir daquela experiência incendiaram o mundo, não precisaram de um documento final e destacou que, também na assembleia, o importante o que foi tocado naqueles anos. Posso dizer que muita coisa foi importante para mim e tem me ajudado na vida de bispo”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.