Diocese, Notícias › 20/08/2018

Diocese de Petrópolis promove caminhada em defesa da vida

20 08 2018 Caminhada em defesa da vida

Clique na imagem para ver o álbum de fotos

A Diocese de Petrópolis promoveu, no dia 19 de agosto, uma caminhada em defesa da vida, reunindo mais de três mil pessoas em Teresópolis. Durante a homilia na missa, que encerrou a caminhada e o Congresso Diocesano das Vocações e da Família, Dom Gregório Paixão (OSB), bispo da Diocese de Petrópolis, afirmou que o senhor Jesus Cristo nasceu numa família, numa gravidez não planejada pela Virgem Maria e por José, afirmando que é preciso abortar do seio da sociedade toda espécie de maldade e não aqueles que tem o direito de nascer.

– Nenhum de nós pode esquecer de um ponto fundamental. A gravidez da Virgem Maria não foi planejada por ela. Mas, o salvador da humanidade venho do Pai numa gravidez não planejada. E por isso recebemos esse salvador como nosso senhor e ele nos fez viver a beleza dessa presença. É triste ouvir aquilo que dizem uns dos outros, se tal pessoa tivesse sido abortada nós estaríamos livre dela. Ora, o que devemos abortar na sociedade? Devemos tirar dela é o mal, devemos tirar a força da morte que deseja para nós e para aqueles que desejam nascer. Devemos tirar do seio sociedade toda espécie de maldade que macula, que gera tristeza, que gera sangue, gera violência. Não existe coisa pior do que a gente resolver os nossos problemas, matando quem deseja a própria vida”, afirmou Dom Gregório Paixão (OSB).

O bispo da Diocese de Petrópolis chamou atenção para o risco que o Brasil corre com a aprovação do aborto, que pode ocorrer com a assinatura daqueles que não foram abordados, mas querem tirar o direito de quem tem o direito de nascer. Ele questionou que tipo de nação será o Brasil se permitir que o aborto seja aprovado. De acordo com o bispo, entre os muitos argumentos usados esta de que se trata de coisa pública, saúde pública, no entanto, na opinião de Dom Gregório Paixão, o que vai ocorrer no futuro com a aprovação do aborto é que tudo aquilo que for considerado perfeição será preservado, mas o que a sociedade entender como imperfeição, que dá trabalho, que gera custo, que não é necessário será eliminada e a preocupação da Igreja Católica no Brasil é que este tipo de pensamento possa atingir outras categorias de pessoas.

Durante a caminhada, tendo a frente o Santíssimo Sacramento conduzido pelo bispo diocesano, os participantes ficaram de joelho na principal avenida de Teresópolis e rezaram para que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) não aprovem o aborto. Ao longo da caminhada foram muitas as manifestações dos católicos contrários a aprovação do aborto.

Durante o Congresso Diocesano das Vocações e da Família foi realizado um abaixo assinado contra a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, ajuizada pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) já se posicionou contra esta ação, assim como bispos de todas as dioceses brasileiras.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.