Diocese, Notícias › 03/10/2017

Congresso da Pastoral da Educação reúne professores no Alto da Serra

30 09 2017 Congresso Educação

Clique na imagem e veja o álbum de fotos.

A Pastoral da Educação da Diocese de Petrópolis realizou, no dia 30 de setembro, o XII Congresso, reunindo mais de 500 profissionais da educação, a maioria professores, e pais de alunos, no salão paroquial da Igreja Santo Antônio, no Alto da Serra. Com o tema “Educar na temperança: um caminho de virtudes”, o encontro contou com a presença do professor João Malheiro, doutor em educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que ano passado apresentou o projeto educacional sobre as virtudes e este ano, manifestou seu contentamento com o que foi apresentado pelas escolas.

“Fico muito feliz com o que vi, pois em um ano, as escolas realizaram um grande trabalho sobre as virtudes. Mas, é importante que cada professor, muito mais do que falar das virtudes, deem testemunha, pois os alunos querem não apenas ouvir, mais quer ver os professores vivendo estas virtudes. Pelo que vi aqui e pelo que conheço, Petrópolis esta muito além de muitos colégios renomados. Fico sempre feliz quando venho aqui fazer uma palestra, pois me sinto muito bem”, afirmou o professor João Malheiro.

Durante todo o congresso, as escolas paroquiais e religiosas, divididas por regiões apresentaram em vídeo sobre o trabalho realizado por elas com os alunos e pais. Em todos os vídeos foram os próprios alunos que apresentaram e comentaram o trabalho realizado em diversas áreas do conhecimento, esportes e práticas de cidadania e religiosidade.

A condução dos trabalhos foi realizada pela equipe diocesana da Pastoral da Educação, com apresentação dos temas centrais feito pela professora Cristiane Noel Souza da Cruz. A coordenadora diocesana da Pastoral da Educação, professora Maria Nilva ressaltou o crescimento de todo trabalho da Pastoral, desde que foi implantada na Diocese. “Ninguém realiza nada sozinho. Precisamos uns dos outros e é neste, trabalhar juntos que vemos o resultado, e temos a certeza que vale a pena continuar trabalhando pela educação”, afirmou, lembrando que, “neste momento difícil do Brasil, nós podemos fazer a diferença”.

Como todos os anos, o Congresso da Educação conta com a presença e apoio de diversos padres, assim como o Vigário Geral da Diocese, Monsenhor Paulo Daher, um entusiasta pela causa da educação e defensor das escolas paroquiais. “É nas escolas que se percebe que não se aprende tudo de uma vez e por isso, é neste ambiente que precisamos preparar os alunos para o futuro. É na escola que vão se formar para amanhã ocupar os cargos importantes no país e com certeza, desta maneira estaremos ajudando a construir um futuro para o país, diferente do que estamos vivendo hoje”, comentou Monsenhor Paulo Daher.

Além do Vigário Geral, estavam presente o reitor da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Padre Pedro Paulo, o Chanceler da Cúria e vigário paroquial do Rosário, Padre José Luiz Montezano, Padre Gustavo Passos de Oliveira, vigário paroquial de São Pedro em Teresópolis, Padre Reginaldo Pereira Pinto, vigário paroquial de Areal, Padre José Celestino Coelho, pároco do Alto da Serra e Dom Gregório Paixão (OSB), bispo diocesano, que encerrou o Congresso da Pastoral da Educação. O bispo aproveitou dados da cultura judaica no nascimento de uma criança, quando o pai fala no ouvido do filho a primeira palavra que ele deve escutar, que é Deus e o nome Miguel, anjo protetor do povo de Israel, para dizer que, durante a formação de uma criança há verdadeiros anjos, começando pelos pais.

“Por que estou falando de anjos, por que para os povos antigos. O anjo é que ensinava a criança a entender que precisava se afastar do mal e devia caminhar nas virtudes. Na nossa vida, temos os anjos que estão ao nosso lado, como nossos pais que nos transmitem bons conselhos desde o inicio e por toda a vida. Temos ainda, os educadores, são os professores que transmitem aos alunos aquilo que experimentaram na vida, as boas escolhas. A educação salva e gera em nós a capacidade de ver o outro como companheiro de realização para transformação do mundo que está a nossa volta”, afirmou Dom Gregório Paixão.

O bispo diocesano estimulou os profissionais de educação a continuar o trabalho, apesar das dificuldades encontradas no dia a dia. “Não podemos desistir de educar. Vamos adiante, pois não estamos sozinhos. Temos Deus sobre nós. Vamos adiante, pois fomos convidados a colaborar na transformação desta sociedade”, finalizou o bispo, agradecendo a presença de todos e a dedicação de cada educador.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.