Notícias › 18/09/2017

Bispo Diocesano ordena 19 homens para o diaconato permanente

16 09 2017 Ordenação Diáconos Permanentes

Clique na imagem e veja o álbum de fotos

A Diocese de Petrópolis, no dia 16 de setembro de 2017, ordenou 19 homens casados para o diaconato permanente, durante missa na Catedral São Pedro de Alcântara, presidida pelo bispo diocesano, Dom Gregório Paixão (OSB). “É diante do evangelho que entendemos o que acontece aqui, nesta histórica Catedral. Temos dezenove irmãos. A sua vida é de serviço a sua esposa, aos frutos deste amor conjugal, os filhos. Estes irmãos aprenderam a serem servidores pelo trabalho que realizam na sociedade e aprenderam a fazer a transição do ser servido para servir por meio da fé que abraçaram única e verdadeira que vem por meio de Jesus Cristo. A isto chamamos de vida cristã”, afirmou Dom Gregório Paixão durante sua homilia.

Os novos diáconos permanentes da Diocese de Petrópolis são: Adilson Carlos Pessoa da Silva, Adilson Paixão, Alberto Antônio Pinto Rezende, Claudio José Pereira de Medeiros, Edson Pereira de Souza, Elias da Silva Nascimento, Gilmar da Silva Pinto, João Eliseu Padilha, Joel Freitas da Silva, José Alberto da Silva Cavalcante, José Carlos da Silva, Luciano Schmidt, Luiz Henrique Lucas Barbosa, Marcelo de Souza Dutra, Marco Antônio Karl, Nilton Moreira, Ronaldo Cândido da Silva, Sidnei Quadrelli e Valnei Piccoli Carnevalli. Com estes novos diáconos, a Diocese de Petrópolis passa a contar com 42 diáconos permanentes.

A missa contou com a presença dos familiares dos novos diáconos permanentes, assim como amigos, religiosos e religiosas. Os diáconos foram apresentados pelo reitor da Escola Diaconal da Diocese de Petrópolis e reitor do Seminário Diocesano, Padre Luiz Henrique. Estiveram presentes e concelebraram o Vigário Geral da Diocese, Monsenhor Paulo Daher e diversos padres diocesanos.

Em sua homilia, ao falar sobre a vocação do diaconato permanente que os 19 homens receberam, o bispo diocesano ressaltou que foram chamados por Deus para exercerem uma nova função. “Continuam sendo o que são, porém, agora com uma nova missão. Continuam fazendo o que faziam no dia a dia, mais agora com uma nova perspectiva. Continuam sendo servidores da família e da sociedade onde vivem, mas agora o foco e atenção deste serviço é o outro, que é completar aquilo na sua vida o que Jesus pede pelo ministério que abraçaram. Agora vai ser abraçar na carne frágil do pobre o próprio Jesus. Não será perceber apenas as próprias necessidades mais as necessidades do mundo que grita de todos os lados pela nossa vida, nossa presença e missão”, comentou o bispo.

Ouça na íntegra a homilia de Dom Gregório Paixão

Dom Gregório Paixão ressaltou que, nesta nova missão, eles não caminham sozinhos, mas vão levar junto na missão que exercem por meio do diaconato permanente as suas famílias, para que assim o serviço seja maior que o desejo de ter. “Estes irmãos agora mais do que nunca não serão eles a seguir Jesus Cristo sozinhos, principalmente nos mais necessitados, mas levaram suas famílias para que assim dentro do seu lar o serviço seja maior do que o desejo de ter, que o amor seja maior que o desejo de comandar, e a alegria seja maior do que a responsabilidade e o desejo de construir para si um mundo de fantasias e materiais”.

O fato de serem homens casados para o exercício do ministério diaconal na Igreja e na sociedade, Dom Gregório Paixão explicou que eles vivendo em sociedade, podem levar o sonho de Jesus que é dar a vida plena a todos os homens e mulheres por meio do testemunho de vida. “Nada melhor do que homens casados para entender as dores e os sofrimentos daqueles que, como eles vivem o concreto das responsabilidades da vida matrimonial. Nada melhor do que estes homens para compreender o que é criar os filhos. O diaconato é serviço a Deus e os irmãos. No diaconato não pode haver ilusão, distanciamento da realidade”.

O bispo diocesano ressaltou ainda que pelo diaconato permanente é possível fazer chegar a todos os homens e mulheres o Evangelho de Jesus Cristo. Indo ao encontro daqueles que vivem nas periferias da sociedade. “É a beleza do serviço que nos leva seguir adiante. Foquem no diaconato de vocês o testemunho de vida. Não se esqueçam de que é a profundidade da oração de vocês que dependerá o crescimento da vida que hoje está sendo colocado diante de Deus”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.